Archive for Agosto 2013

Ricardo Rio visitou empresa “Paleta de Ideias”

No Comments »

Empresas da região devem ser valorizadas na promoção turística no concelho


Ricardo Rio, líder dos “Juntos Por Braga”, visitou a empresa “Paleta de Ideias”, localizada em Maximinos, numa iniciativa que teve por objectivo perceber mais detalhadamente o seu funcionamento e as suas necessidades. Abel Rocha, director da empresa, e Fernando Almeida, candidato dos “Juntos Por Braga” à Junta de Freguesia de Maximinos, acompanharam Rio durante a visita.

De acordo com Abel Rocha, a Paleta de Ideias, pertencente ao grupo Primavera Business Software Solutions, é uma agência de “serviço completo”, composta por profissionais especializados reunidos em equipas multidisciplinares nas diversas áreas de actuação da agência. “Fazemos o produto ´chave na mão´, desde o planeamento de comunicação e marketing até à parte da publicidade, design gráfico, editorial, de ambientes e de produto. Trabalhamos também a área dos new media, com a realização e produção de websites e também da vertente multimédia”, afirmou, enfatizando que a empresa, apesar de ter clientes em todo o país, trabalha principalmente no mercado da região.

A promoção do património material e imaterial de Braga, através de uma aposta mais intensa no turismo e na área comunicacional, é um elemento que Abel Rocha considerou fundamental para o desenvolvimento da cidade. “Temos um potencial enorme, sendo que a autarquia tem muito trabalho para fazer nesta matéria. Nesse sentido, gostávamos que as empresas de comunicação de referência na região, como a nossa o é, fossem chamadas a participar activamente nesse processo”, sublinhou, lamentado que até ao momento essa oportunidade não tenha sido proporcionada pela Câmara Municipal.

O líder dos “Juntos Por Braga” partilhou desta preocupação, assumindo que a aposta no turismo será uma prioridade no próximo ciclo de gestão autárquica que espera liderar. “O Turismo deve ser encarado como uma área chave para o desenvolvimento económico de Braga, pelo que esta é mais uma das áreas onde Braga vai mudar para muito melhor”, considerou, adiantado que conta com os agentes da região para levar a cabo essa transformação: “Queremos que todos sejam parte dessa aposta, pelo que devemos valorizar o ´know-how´ que já existe no concelho e que é reconhecido em todo o mundo”, disse.

Para o director da empresa, a aposta constante na inovação e modernização tem trazido excelentes resultados. “Temo-nos ressentido com o clima de crise, mas de forma muito ligeira. Ao longo dos anos, preparamos-mos para trabalhar em diferentes disciplinas das nossas áreas, para poderemos ter respostas mais abrangentes, e qualificamos os nossos recursos humanos nessas mesmas áreas”, garantiu, apontando ainda a “pro-actividade” como outro motivo para o sucesso da Paleta de Ideias.

A finalizar, Ricardo Rio declarou que é fundamental que o tecido empresarial mantenha uma atitude de permanente busca de novos mercados e de aperfeiçoamento da qualidade de produtos ou serviços. “É desta forma que as nossas empresas podem continuar a ser competitivas e diferenciadoras, preparando-se também para resistirem mais facilmente aos períodos de crise”, concluiu.

Aposta na construção artesanal é garantia de qualidade dos instrumentos e de preservação da tradição

No Comments »

Ricardo Rio visitou empresa “Artimúsica”


Ricardo Rio visitou a empresa “Artimúsica Instrumentos Musicais, Lda”, no seguimento de um conjunto de visitas com agentes empresariais. Miguel Alves, sócio-gerente da empresa, e Angelina Rodrigues, candidata à União de Freguesias de Celeirós, Vimieiro e Aveleda, estiverem presentes nesta iniciativa.

Como explicou Miguel Alves, a Artimúsica - que tem 21 anos de existência - dedica-se exclusivamente à construção de instrumentos tradicionais portugueses. “Pela forma como fabricamos os nossos instrumentos musicais, somos uma empresa única no país”, salientou, sublinhando que todos os produtos são feitos de forma “quase totalmente” artesanal, e que essa é a marca que distingue a Artimúsica no mercado.

“Os nossos instrumentos são reconhecidos por diversas entidades e pessoas como autênticas obras de arte e uma referência na área”, destacou o sócio-gerente, enfatizando que esse é um factor “motivador” e que “enche de orgulho” todos os que estão ligados à empresa. A Artimusica actua predominantemente no mercado nacional: “Vendemos para todo o mercado nacional, sendo que a actualmente produção não chega para satisfazer as encomendas recebidas. Em 2014, contamos efectuar uma aposta maior na internacionalização”.

Para o líder dos “Juntos Por Braga”, a aposta na qualidade dos produtos é essencial para as empresas se destacarem e ganharem vantagem competitiva nos mercados. “Só sendo diferenciadores é que é possível obter bons resultados. É com enorme alegria que constato a enorme qualidade e minúcia do vosso trabalho, que é também uma forma de manter viva a velha arte de construção artesanal de instrumentos”, considerou.

Na ocasião, Miguel Alves mostrou-se esperançoso de que o próximo ciclo de gestão autárquica traga uma mudança de atitude da Câmara Municipal relativamente ao tecido empresarial. “É fundamental eliminar a burocracia existente, ainda mais numa altura em que necessitamos de ser cada vez mais competitivos. A autarquia tem de ser um agente auxiliador da nossa actividade”, garantiu, lamentando ainda que a aposta no sector cultural em Braga seja residual: “Temos de começar a valorizar mais as nossas tradições e raízes, efectuando um trabalho com os mais jovens e promovendo mais actividades culturais na cidade. Possuímos uma histórica riquíssima, a nível musical e não só, e que merece ser respeitada”.

Outra das críticas de Miguel Alves está relacionada com as “péssimas“ condições do Parque Industrial de Celeirós, onde a empresa está sediada. “As comunicações são muito débeis, os acessos são fracos e existe falta de iluminação, o que traz insegurança e mau ambiente”, apontou, afirmando que esta é uma zona muito procurada por famílias para passearem e fazerem exercício, pelo que merecia um melhoramento dos passeios e até a inclusão de uma ciclovia.

Nesse sentido, o líder dos “Juntos Por Braga” assumiu o compromisso de alterar a relação da autarquia com as empresas assim que assumir o cargo de Presidente da Câmara. “Esta é uma vertente que será prioritária na nossa gestão. Queremos transformar Braga numa cidade atractiva para os empresários e que dê às empresas todas as condições para estas trabalharem e serem competitivas, gerando emprego e criando postos de trabalho”, assegurou.

A finalizar, o sócio-gerente da Artimúsica revelou optimismo para o futuro. “ Apesar da crise, o nosso mercado está a subir. Contrariando a tendência, aumentamos a facturação e o número de encomendas”, disse, apontando a elevada qualidade e o acabamento exemplar dos produtos como as razões do sucesso.

Envolver a comunidade é o rumo certo para que se dê valor ao riquíssimo património da cidade

No Comments »

Ricardo Rio visitou ”Mosteiro de Tibães”


Ricardo Rio, líder dos “Juntos Por Braga”, visitou o Mosteiro de São Martinho de Tibães, numa iniciativa que teve por objetivo fazer um ponto da situação relativamente às necessidades deste monumento nacional e discutir as melhores formas de o potenciar no futuro. Mário Brito, Coordenador do Mosteiro de Tibães, e José Magalhães, candidato dos “Juntos Por Braga” à Junta de Mire de Tibães, acompanharam Rio durante a visita.

Criar parcerias com os vários agentes da região, de forma a se desenvolverem vários projetos conjuntos entre estes e o Mosteiro, foi a principal prioridade que Mário Brito apontou para a sua gestão. “No ano passado crescemos cerca de 19% em termos de público, e este ano as expetativas são de que o número de visitantes continue a aumentar. Este é o resultado de uma muito maior abertura do Mosteiro à comunidade, com participação de entidades públicas, escolas, empresas ou pessoas individuais que aceitaram o nosso desafio de desenvolver projetos em colaboração”, afirmou, salientando a necessidade de se envolver “massa crítica” na vida do monumento e de se apostar em iniciativas capazes de atrair públicos muito específicos.

Na opinião de Ricardo Rio, arranjar parceiros, desafiar as pessoas e as empresas a participar e promover e estimular o empreendedorismo é uma aposta que se tem de replicar por todo o património do concelho. “Envolver a comunidade é o rumo certo para que Braga possa usufruir do seu imenso património e dar-lhe o devido valor. Só dessa forma poderemos afirmarmo-nos como uma cidade que ama o que é seu”, disse, considerando que, nesse aspecto, o Mosteiro de Tibães é um “excelente exemplo” a seguir.

De acordo com Mário Brito, é fundamental dar seguimento a esse investimento nas parcerias com os diversos actores e melhorar os processos de comunicação e captação de públicos para o Mosteiro de Tibães. “Tudo o que se possa fazer no sentido da promoção com qualidade do nosso património e monumentos é sempre extremamente útil. Sabemos que a cultura tem as suas dificuldades em termos de comunicação, mas isso pode ser melhorado através de uma melhor referenciação do Mosteiro na cidade”, afirmou, adiantando que vários visitantes têm apresentado queixas relativamente às dificuldades em obter informações sobre o monumento e em deslocar-se ao mesmo.

Essa é uma área em que Ricardo Rio garantiu que a cidade irá sofrer profundas alterações no próximo ciclo de gestão autárquica. “Não temos actualmente qualquer estratégia elaborada de promoção do turismo e do nosso vasto património. É essencial um novo paradigma nesta área, promovendo Braga junto dos muitos públicos-alvo que podemos atingir e atraindo cada vez mais visitantes”, explicou, afirmando que o turismo será uma prioridade e uma das vertentes capazes de dinamizar economicamente o concelho.

Mosteiro de Tibães terá um futuro “ainda mais brilhante”

Nesse sentido, Mário Brito acredita que o Mosteiro de Tibães é um espaço que, dentro de poucos anos, estará envolvido na malha urbana de Braga e que beneficiará desse enquadramento. “Não tenho dúvidas de que, com o desenvolvimento da cidade para esta zona, o futuro do Mosteiro será ainda mais brilhante, muito devido à área verde preservado que aqui existe. Da nossa parte, esforçamo-nos para que este património, único no país e com uma imponência arquitetónica e artística digna de registo, seja reconhecido e usufruído pelas pessoas”, sublinhou, lembrando que as recentes obras no Mosteiro dotaram-no de todas as condições necessárias para assegurar o bem-estar dos visitantes.

Em 2012, o Mosteiro de Tibães acolheu mais de 72 mil pessoas, sendo que cerca de 15 mil eram alunos que visitaram o monumento fruto da aposta no trabalhar em proximidade com as escolas. “As crianças são uma percentagem muito importante do nosso público, o que é relevante devido ao facto de estarmos a consciencializar os mais jovens para a valia do que é nosso”, referiu, enfatizando que esse é “obrigatoriamente” um caminho que o Mosteiro tem de continuar a trilhar.

Na ocasião, também José Magalhães afirmou que é importante que a Junta de Freguesia tenha a capacidade de estimar o que está “à sua porta”. “Devemos de ser os primeiros a ter a preocupação em manter uma estreita articulação com o Mosteiro e em envolver a população local no seu dia-a-dia”, finalizou, afiançando que tudo fará para que esses laços se estreitem e se desenvolva um trabalho “profícuo e vantajoso” para ambas as partes.

Jorge Pires apresentou publicamente a candidatura à Junta de Freguesia de S. Vicente

No Comments »



Jorge Pires apresentou publicamente a recandidatura à Junta de Freguesia de S. Vicente, liderando a equipa dos “Juntos Por Braga”. A iniciativa decorreu no auditório Hotel S. Vicente, que encheu por completo com apoiantes e várias personalidades da vida política em Braga, entre as quais se incluíam Ricardo Rio e diversos candidatos a Juntas de Freguesia. Na ocasião, foram também apresentados os elementos que constituem a equipa liderada por S. Vicente, assim como o Presidente da Comissão de Honra, Carlos Aguiar Gomes, e o Mandatário para a Juventude, Vítor Lopes.

Jorge Pires iniciou o seu discurso agradecendo a “confiança, força e determinação” que todos os que estiveram presentes nesta iniciativa lhe quiseram transmitir. “Este é o melhor testemunho que pode existir da enorme qualidade do nosso trabalho, que nos permitiu melhorar S. Vicente e aumentar a qualidade de vida da comunidade”, garantiu.

O actual Presidente da junta de S. Vicente salientou que a missão dos políticos passa por estarem constantemente ao serviço das pessoas, e que essa é uma “lição” que procura cumprir “à risca”. “O nosso dever é servir, e os Vicentinos são o nosso maior património. É dessa forma que actuamos, salvaguardando o princípio da humildade democrática. É para as pessoas e com as pessoas que vamos continuar a trabalhar, mantendo a política de proximidade e diálogo que nos caracteriza”, afirmou.

Para Jorge Pires, a responsabilidade e obrigação de continuar o trabalho desenvolvido desde 2009 em S. Vicente são principal motivo que o levou a apresentar a recandidatura. “As obras e projectos que efectuamos falam por si. Juntos, iremos seguir mais quatro anos seguindo o mesmo rumo e as mesmas convicções. A estratégia é clara e passa pela afirmação histórica da identidade Vicentina, valorizando a nossa gente e património, bem como os vários domínios a nível social, ambiental, cultural e educacional”, sublinhou, apontando também o objectivo de alargar o grupo de voluntariado da freguesia e de privilegiar as parecerias com os vários agentes de S. Vicente: “Iremos investir no trabalho em rede, tal como já é feito a nível das associações e instituições, em que as colectividades cooperam de forma sustentável e eficiente, em benefício da população”.

Segundo Ricardo Rio, a persistência, a determinação e a qualidade do grupo que acompanha Jorge Pires são as principais marcas desta candidatura. “Estou certo de que a população de S. Vicente não quer voltar atrás. Ao longo destes quatro anos, a freguesia desenvolveu-se em diversas áreas, tendo-se destacado a relação de proximidade que a Junta estabeleceu com pessoas e agentes”, afirmou, destacando as inúmeras iniciativas desenvolvidas nos mais diversos dominós, sobretudo na área social - com marcas como a loja social, o fortalecimento do relacionamento com instituições ou a equipa de voluntariado que apoia – e cultural – apresentado uma dinâmica de grande qualidade.



Política discriminatória da autarquia em relação às freguesias é “inaceitável”

Na ocasião, Jorge Pires lamentou que o atual executivo da Câmara Municipal de Braga não trate as freguesias de forma justa e tendo em conta o seu valor, mas sim colocando os seus interesses políticos e particulares em primeiro lugar. “Para bem das populações, essa é maneira de agir inaceitável que tem de acabar no dia 29 de Setembro, com a eleição de Ricardo Rio como próximo Presidente da autarquia. Eu acredito numa cidade diferente e num executivo municipal que esteja verdadeiramente interessado em trabalhar em prol de todos os Bracarenses, sem qualquer excepção”, enfatizou.

Já Ricardo Rio sublinhou que no próximo ciclo autárquico, que espera liderar, os “Juntos Por Braga” irão estar ao lado de S. Vicente para que os vários projectos da freguesia se concretizem. “Vamos trabalhar para que a sede do Soarense seja uma realidade, reclamar junto do poder central a conclusão do projecto do Centro de Saúde de Infías, ajudar a melhorar o projecto da Associação Vicentina em termos de respostas sociais e contribuir a animação e qualificação de todas as zonas residenciais desta freguesia”, afiançou, garantindo que pretende fazer de S. Vicente um exemplo de qualidade de vida para todo o concelho.

Por fim, o líder dos “Juntos Por Braga” afirmou que a actual Câmara Municipal não percebe as reais necessidades da população e que está “parada no tempo”. “Braga tem mudado demasiado devagar e no sentido errado. Está na altura de uma verdadeira mudança que coloque os Bracarenses no topo das prioridades. E quem durante os 20 anos em que fez parte da gestão municipal não se importou minimamente com a defesa do património, a protecção do ambiente ou a captação de investimento para a economia, não pode agora vir fazer de conta que essas serão prioridades para o futuro e que vai fazer o que nunca quis durante todos estes anos”, concluiu.

Agostinho Soares apresentou publicamente a candidatura à União de Freguesias de Crespos e Pousada

No Comments »



Agostinho Soares apresentou publicamente a candidatura à União de Freguesias de Crespos e Pousada, liderando a equipa dos “Juntos Por Braga”. A iniciativa decorreu no Ringue de Pousada, ao lado sede da Junta de Freguesia, que se encontrava repleto de apoiantes, e várias personalidades da vida política em Braga, entre as quais se incluía Ricardo Rio. Na ocasião, foram também apresentados os elementos que constituem a equipa liderada por Agostinho Soares, onde se destacam os nomes José Maria, 45 anos, representante da Freguesia de Pousada, e dos mandatários José Augusto Soares, mandatário da candidatura, e Marisa Machado, mandatária da juventude da referida candidatura.

Ricardo Rio, candidato à Presidência da Câmara Municipal de Braga congratulou-se com o elevado número de pessoas que assistiu à apresentação pública de Agostinho Soares à União de Freguesias de Crespos e Pousada, considerando-a reveladora do apoio que o “Juntos por Braga” tem em todo o Concelho.

Rio iniciou a sua intervenção relembrando que José Maria, número dois da candidatura representando a Freguesia de Pousada fez um trabalho excelente, ainda que na oposição, porque nunca desistiu de defender os interesses da sua comunidade. Relativamente a Agostinho Soares, actual presidente da Junta de Crespos, Rio mostrou-se confiante que “nenhum habitante de Crespos que tenha querido essa mudança em 2009 está minimamente arrependido de ter contribuído para ela”, acreditando que “serão muitos mais que se vão juntar a este projecto porque é uma Freguesia que, apesar dos recursos financeiros limitados, tem a liderar os seus destinos uma equipa atenta ás necessidades da população e que com pouco tem feito muito para esta Comunidade”.

Rio aproveitou a oportunidade para alertar os presentes que a mudança não se deve fazer só nas Juntas de Freguesia porque “temos que ter uma Câmara que esteja empenhada e comprometida para trabalhar em colaboração com os poderes locais e que ajude a resolver os problemas das populações”. Explicou que é essencial que a Câmara Municipal pegue nos recursos e invista nas freguesias em vez de investir em obras faraónicas no centro da cidade”.

Por sua vez, Agostinho Soares revelou estar convicto de que o vão apoiar e eleger como presidente da União de Freguesias porque “este não foi um casamento de conveniência”, confessando que “se sentiu honrado pela união manifestada na escolha do seu nome para liderar este projecto”. Soares garantiu aos habitantes de Crespos e Pousada que “ganhando as eleições serei o Presidente de todos e trabalharei com a mesma dedicação por Crespos e Pousada assim como o Zé Maria trabalhará com o mesmo empenho por Pousada e por Crespos”. “Se Crespos é a minha freguesia também Pousada será a minha freguesia”, garantiu.

O candidato estabeleceu compromissos “Na educação, na acção social, na cultura, nas obras, temos vindo a implantar em Crespos uma politica de exigência e de compromisso com as pessoas que pretendemos alargar também a Pousada. Com a ajuda imprescindível do Zé Maria e da sua equipa, Pousada passará a usufruir de tudo o que de bom se fez em Crespos” dando exemplos concretos: “Se em Crespos é a Junta que paga as aulas de inglês às crianças do pré-escolar, se é a Junta que oferece os manuais escolares, se foi a Junta que criou uma rede de comunicações exclusiva para a população local, em Pousada também o será”.

Já o número dois da candidatura à União de Freguesias de Crespos e Pousada, José Maria aquando da sua apresentação referiu que acredita que a mudança está para breve, dizendo “sentir que o povo da freguesia de Pousada quer mudar para melhor”.

A renovação e a animação do Mercado de Braga são indispensáveis

No Comments »

Ricardo Rio em visita ao Mercado Municipal


Ricardo Rio, líder dos “Juntos Por Braga”, acompanhado por vários autarcas, visitou este sábado o Mercado Municipal de Braga. A visita foi mais um momento de contacto com as pessoas num dos locais mais emblemáticos da cidade de Braga.

O candidato à Presidência da Câmara Municipal de Braga foi recebido com grande júbilo quer pelos comerciantes quer pelos habituais clientes do mercado. No decorrer da visita Rio foi interpelado com diversas queixas. Os comerciantes aproveitaram a oportunidade para lamentar junto de Ricardo Rio as deploráveis condições do Mercado Municipal e reclamam por uma intervenção nas infraestruturas do Mercado. Explicaram ainda que em dias de intempéries é muito complicado trabalhar num espaço sem protecção. De acordo com alguns comerciantes, o facto do mercado estar tão degradado e tão exposto ao mau tempo afasta a clientela.

Segundo garantiam “há comerciantes que estão ao sol e à chuva sem um tecto que os proteja”, sendo que “quando chove a chuva inunda o espaço porque também não há uma vidraça que os proteja, as caleiras não são suficientes para escoar a água e há ainda o problema dos entupimentos dos ralos”.

A conclusão é unânime e apoiada por Rio: “temos que actuar urgentemente neste mercado, melhorando as condições de trabalho e garantindo mais animação”.

Ricardo Rio lamentou a deterioração do espaço interno e externo e considerou que esse é um dos factores que prejudica fortemente o dinamismo económico local, lembrando mesmo que o estado deplorável a que chegou o Mercado Municipal se deve essencialmente às politicas deficitárias promovidas pela actual maioria Socialista.

Perante os lamentos de Joaquim Mesquita, um dos históricos talhantes deste espaço, Ricardo Rio garantiu que após as eleições de 29 de Setembro o Mercado Municipal vai merecer uma especial atenção com vista à sua requalificação.

Ricardo Rio visitou a Feira Franca de Tadim

No Comments »

“É importante preservar as tradições”


Ricardo Rio, líder dos “Juntos Por Braga” e candidato à Presidência da Câmara Municipal de Braga deu seguimento a um conjunto de iniciativas junto das populações locais visitando na manhã do passado Domingo o Concurso Pecuário da Feira Franca de S. Bartolomeu de Tadim. A visita foi acompanhada por Francisco Mano, candidato por “Juntos por Braga”, à Junta de Freguesia de Tadim.

Segundo Mano, “O Concurso Pecuário da Feira Franca de S. Bartolomeu de Tadim é uma tradição com mais de meio século de existência que se mantém viva e que integra o cartaz das feiras em honra de São Bartolomeu”, padroeiro da Freguesia. “Este ano, e como pudemos constatar, a Feira voltou a ter o mais recente concurso equino, que foi muito bem acolhido pela população local”, referiu.

O candidato à Câmara Municipal de Braga ficou muito agradado com a mobilização gerada em torno da iniciativa, enaltecendo o valor de preservar tradições com esta relevância no contexto de cada uma das Freguesias.

Segundo Rio, esta foi mais uma oportunidade para confraternizar com população local e conhecer os costumes locais: “A nossa terra tem uma história riquíssima, cada Freguesia tem um vasto património cultural e uma identidade própria e é vital que não se deixe morrer as tradições”. Adiantou ainda que, tudo fará, em consonância com Francisco Mano, para manter viva e promover todas estas iniciativas locais.

“Juntos por Braga” na festa em honra a Nossa Senhora da Purificação em Semelhe

No Comments »



Dando seguimento a um conjunto de visitas que, a equipa “Juntos por Braga” está a promover junto da população local, Miguel Bandeira, juntamente com Lídia Dias, da lista de Ricardo Rio à Câmara Municipal de Braga, participaram com a restante equipa na dinamização do jogos tradicionais na freguesia de Semelhe. Esta actividade está inserida nas festividades em honra de Nossa Senhora da Purificação que, ocorre todos os anos por esta data.

A visita foi promovida pelo candidato, à União de Freguesias Real, Dume e Semelhe, Miguel Rego juntamente com a numero dois, Paula Silva proveniente da Freguesia de Dume e João Barbosa numero três da candidatura que representa Semelhe nesta candidatura

Segundo Lídia Dias este foi um momento descontraído em que os candidatos e a restante equipa teve oportunidade de conviver com a população local e conhecer um pouco mais da sua cultura e costumes. Durante a actividade a população teve ainda oportunidade de ver esclarecidas algumas questões sobre o futuro da Camara Municipal de Braga após as autárquicas de 29 de Setembro.

Ricardo Rio visitou empresa “FOC”

No Comments »

Aposta na reabilitação do edificado é forma de promover reanimação do sector da construção civil


Ricardo Rio, líder dos “Juntos Por Braga”, visitou a empresa “FOC”, sediada em Maximinos, dando seguimento a um ciclo de visitas a agentes empresariais do concelho. Fernando Oliveira Carvalho, dono e fundador da empresa, e Fernando Almeida, candidato dos “Juntos Por Braga” à união de freguesias de Maximinos, Sé e Cividade, acompanharam Rio durante esta iniciativa.

Na ocasião, Fernando Carvalho explicou que a FOC, criada em 1978, se dedica à comercialização de vários produtos para a construção civil. “Vendemos tintas, ferragens, maquinas eléctricas e ferramentas manuais, portas e automatismos, etc. Temos o estabelecimento aberto para receber os clientes e temos ainda vários vendedores no exterior”, afirmou.

As instalações da FOC em Maximinos foram abertas em finais de 2011, constituindo o que Fernando Carvalho considerou o “desenvolvimento natural” para a empresa, que conta com 38 colaboradores. “Começamos com uma pequena loja na Sraª-a-Branca, depois mudamo-nos para a Rua do Caires e agora criamos mais esta loja em paralelo. Infelizmente, a crise coincidiu com a aposta nestas instalações, o que veio dificultar um pouco o nosso trabalho”, salientou.

Para o líder dos “Juntos Por Braga”, esta é uma empresa que soube investir e ter um crescimento gradual, apesar de estar a sofrer os efeitos de um conjuntura adversa. “Todos sabemos que a construção civil atravessa uma fase complicada, mas é fundamental que as empresas se saibam adaptar e procurem ser diferenciadoras no mercado, de forma a se destacarem e obterem sucesso. À autarquia cabe o papel essencial de dar todo o apoio ao normal funcionamento destas empresas, trabalhando em parceria com o tecido empresarial no sentido de encontrar as melhores soluções para o seu futuro”, declarou.

Segundo o dono da FOC, a redução “drástica” da construção, sem o devido contraponto na área da reabilitação, veio afectar bastante o funcionamento da empresa. “Vendemos sobretudo para o mercado nacional e para a região do Minho, pelo que é natural que nos tenhamos ressentido da crise. Neste momento basta olhar à volta para verificar que não há gruas, e a reabilitação do edificado também está a avançar muito lentamente”, sublinhou.

Nesse sentido, Ricardo Rio considerou que Braga necessita de efectuar uma aposta urgente na reabilitação urbana no centro da cidade. “É preciso acelerar o processo de reabilitação do edificado, trazendo gente e animação para o centro da cidade. Essa política acabará também por ter um feito muito positivo na reanimação da área da construção civil”, destacou, lembrando que esta é uma medida há muito defendida pelos “Juntos Por Braga”.

A finalizar, Fernando Carvalho afirmou estar esperançoso de que o futuro traga melhores notícias para a FOC. “Nos últimos 3 meses as coisas já estão a melhorar um pouco, apesar de ainda não estarem como todos desejamos. É evidente que não será possível voltar a viver o boom que se verificou na construção, mas acreditamos que a tendência de queda se irá inverter”, enfatizou.

Miguel Rêgo apresentou publicamente a candidatura à União de Freguesias de Real, Dume e Semelhe

No Comments »


Miguel Rêgo apresentou publicamente a candidatura à União de Freguesias de Real, Dume e Semelhe, liderando a equipa dos “Juntos Por Braga”. A iniciativa decorreu no auditório da Junta de Freguesia de Real, que encheu por completo com apoiantes e várias personalidades da vida política em Braga, entre as quais se incluiu Ricardo Rio. Na ocasião, foram também apresentados os elementos que constituem a equipa liderada por Miguel Rêgo, onde se destacam os nomes de Paula Silva, de Dume, e de João Barbosa, representante de Semelhe. 

Na ocasião, Ricardo Rio afirmou que o grande número de pessoas presentes na iniciativa é uma prova da confiança da população na qualidade da candidatura liderada por Miguel Rêgo. “Esta candidatura é a que melhor assegura o futuro de Real, Dume e Semelhe. As pessoas vão reconhecer a qualidade e os inúmeros benéficos que este projeto, composto por elementos de enorme competência, trará a estas três freguesias”, garantiu. 

Segundo Miguel Rêgo, as freguesias desempenham um papel “fulcral” na comunidade, pois são elas a primeira linha de apoio às populações e o elo de contacto com o poder central e camarário. “Acreditamos nas singularidades de cada uma das freguesias que compõe esta união, e tudo faremos para as preservar e desenvolver, trabalhando em proximidade com a população”, afirmou, salientando que a ação do seu executivo se pautará pelo princípio da igualdade entre as freguesias e as pessoas. 

O candidato à União de freguesias apontou a área social como aquela a que dará especial atenção. “Empenharemos uma parte substancial dos nossos recursos e esforços nesta vertente, porque sabemos das dificuldades e carências das famílias neste momento difícil que atravessamos. Nesse sentido, queremos criar parcerias com as instituições das freguesias de forma a criarmos uma rede social de intervenção abrangente e de proximidade”, referiu, identificando como objetivos a criação de uma loja social, de um banco de voluntariado e a promoção da criação de valências de apoio aos idosos. 

Miguel Rêgo apontou ainda a educação, a cultura, a defesa do ambiente e do património e o fomento do associativismo como sectores a privilegiar. “Vamos fazer com que o nosso programa eleitoral chegue ao máximo de pessoas possível, para que conhecem as propostas que temos para dinamizar e modernizar estas três freguesias. É fundamental afastar o medo e o receio que as pessoas que há muito ultrapassaram o seu prazo de validade no poder tentam incutir nas populações”, afirmou, lamentando que essas mesmas pessoas muito pouco estejam a fazer para o desenvolvimento das três freguesias: “Da nossa parte, deixamos uma certeza: vamos dar início a um movimento de mudança que irá impulsionar Real, Dume e Semelhe, transformando-as em freguesias com muito maior qualidade de vida”. 

Miguel Rêgo fez ainda questão de esclarecer que a sua equipa nunca irá perder a independência de pensamento e a força de reivindicação. “Esta é uma lista renovada e plural, que está empenhada em conseguir mudar o panorama desta União de freguesias para muito melhor. Os executivos que estão neste momento em funções já deram provas cabais do que não são capazes de fazer. É hora de abraçar esta onda de mudança que vai correr Braga”, garantiu, sublinhando que a vitória de Ricardo Rio nas eleições para a Câmara Municipal é essencial para que as freguesias tenham direito à atenção e investimento que as comunidades merecem. 

Por fim, durante a sua intervenção, Rio assegurou que, a partir do dia 29 de Setembro, Braga irá mudar para muito melhor. “Estamos prestes a entrar num novo ciclo, que ficará marcado pelo progresso e pela evolução do concelho. É fundamental abandonar as políticas gastas, da irresponsabilidade e do despesismo, que mais não trazem do que situações como a que todos podem observar junto ao Estádio Municipal, com vários milhões de euros gastos numas Piscinas que não passam de ruínas. Esta é a altura de fazermos diferente, colocando o diálogo, a proximidade e as pessoas e as suas reais necessidades em plano prioritário”, concluiu, enfatizando a importância de uma vitória dos “Juntos Por Braga” nas eleições para a Presidência da Câmara Municipal e para a União de freguesias.

Câmara tem obrigação de proporcionar qualidade de vida à população sénior

No Comments »



Ricardo Rio reuniu com “APRE”

Ricardo Rio, líder dos “Juntos Por Braga”, reuniu com a direção da delegação de Braga da Associação de Aposentados, Pensionistas e Reformados (APRE). Maria José Tinoco, responsável local da APRE, esteve presente nesta iniciativa. 

Como explicou Maria José Tinoco, a APRE é uma associação recém-criada, mas que conta já com cerca de 100 associados em Braga. “Esta associação foi criada em Outubro, tendo arrancado a nível nacional no início deste ano. Reunimos elementos que pretendem ter uma participação ativa na vida pública, dando especial enfoque nos problemas que afetam esta camada da população, que atravessa momentos complicados”, salientou. 

Para Maria José Tinoco, há várias intervenções que podem ser efetuadas a nível autárquico para apoiar socialmente a população sénior e melhorar a sua qualidade de vida. “No que se refere, por exemplo, às respostas sociais e aos meios de transporte e mobilidade, as Câmaras Municipais podem assumir um papel importante, contribuindo para a criação de respostas às necessidades dos incapacitados e aliviando as finanças com preços mais baixos e tarifas especiais nos transportes”, apontou. 

De acordo com Ricardo Rio, é essencial ter em especial atenção as reais necessidades desta franja da população. “Nos tempos difíceis que vivemos, é preciso estarmos atentos sobretudo aos casos de maiores carências sociais e isolamento. A Câmara Municipal e as Juntas de Freguesia, como órgãos que trabalham mais próximos dos cidadãos, têm a obrigação de estar na primeira linha de resposta e identificação desses problemas”, apontou, garantindo que é também prioridade dos “Juntos Por Braga” aliviar o orçamento dos cidadãos e pensar em soluções para permitir à classe sénior usufruir de vários serviços, nomeadamente nos transportes e na cultura a preços mais em conta. 

O candidato à Presidência da Câmara Municipal sublinhou ainda que pretende trabalhar em grande proximidade e diálogo com as IPSS´s do concelho, procurando minorar a falta de valências sociais para a terceira idade. “Sabemos do valioso trabalho social e de apoio à comunidade desenvolvido pelas IPSS´s, pelo que vamos colaborar de forma mais ativa com essas instituições para que os idosos disponham de locais com todas as condições para os receber e passarem o tempo de forma saudável”, enfatizou. 

Ricardo Rio garantiu que, no próximo ciclo autárquico, a APRE vai encontrar sempre as portas da Câmara Municipal abertas. “Poderão contar connosco para, dentro das nossas possibilidades, trabalharmos em conjunto no sentido de melhorarmos a qualidade de vida da população sénior e minorarmos os problemas existentes”, concluiu. 

Ricardo Rio apresentou também o que considera serem princípios incontornáveis que devem constar de uma qualquer Proposta para uma Política Municipal para a Terceira Idade. Assim: 

i) Dar mais qualidade de vida e condições de segurança aos idosos que vivem nas suas casas;
ii) Assegurar a manutenção das pessoas idosas no seu meio tanto quanto possível, mediante um apoio domiciliário abrangente; 
iii) Apoiar a autonomia das pessoas idosas; 
iv) Suscitar o envolvimento dos idosos em iniciativas de cariz lúdico, cultural, desportivo e de intervenção social; 
v) Incentivar o acesso da população idosa à formação contínua; 
vi) Facilitar e motivar a articulação entre Organismos / Serviços / Instituições; 
vii) Propiciar convívios intergeracionais. 

A finalizar, a responsável local da APRE sublinhou que a terceira idade constitui uma percentagem cada vez maior da população e que sentiram a necessidade de se unir em forma de associação para terem uma voz mais forte na defesa dos seus direitos. “Pelo número de pessoas que representamos, justifica-se uma entidade que nos represente. Esse foi o principal objetivo que esteve por detrás da criação da APRE, que começa aos poucos a ter uma maior representação a nível nacional”, afirmou.

Câmara Municipal deve ter mais atenção aos espaços de acolhimento empresarial

No Comments »


Ricardo Rio visitou empresa “Imporvelas”

Ricardo Rio, líder dos “Juntos Por Braga”, visitou a empresa “Imporvelas S.A.”, dando seguimento a um ciclo de contactos com agentes empresariais do concelho. Rodrigo Oliveira, administrador e fundador da empresa, e Agostinho Fernandes, candidato à Junta de Freguesia de Adaúfe pelos “Juntos Por Braga”, acompanharam Rio durante esta iniciativa.

Como explicou Rodrigo Oliveira, a Imporvelas nasceu há 15 anos, derivada da empresa “Rodrigo & Azevedo”. “Vimos a oportunidade de explorar mais intensamente este segmento de mercado e orientámos a firma para a área das velas”, afirmou, enfatizando que dispõem de uma variadíssima gama de velas: “Temos inúmeros modelos à escolha dos clientes, sendo que há sempre três ou quatro referências que têm mais procura”. 

A Imporvelas dedica-se exclusivamente à importação e distribuição de velas, não possuindo produção própria. “Trabalhamos sobretudo no mercado nacional, e valemo-nos também da exclusividade que os fornecedores nos dão em alguns produtos. Nesses casos, quem os quiser adquirir tem de comprar à nossa empresa”, afirmou. 

Na ocasião, Ricardo Rio salientou que esta foi uma empresa que soube aproveitar de forma “exemplar” as oportunidades do mercado. “O sucesso da Imporvelas deve-se à visão de quem foi capaz de identificar uma lacuna no mercado e aproveitar esse facto para tornar a empresa diferenciadora”, considerou, sublinhando que, no clima de grande concorrência que se vive, é essencial saber explorar os nichos de mercado que existem. 

Sediada no Parque Industrial de Adaúfe há 13 anos, a Imporvelas dispõe do espaço necessário para “guardar os stocks” e desenvolver de forma normal a sua atividade. No entanto, Rodrigo Oliveira lamentou que os acessos ao Parque estejam “muito degradados”. “Considero que este é um dos melhores Parques Industriais da cidade e globalmente estamos muito satisfeitos com a mudança para estas instalações, pelo que é de lamentar que os acessos sejam tão fracos. Espero que a situação se resolva brevemente”, disse. 

Nesse sentido, o líder dos “Juntos Por Braga” criticou a falta de atenção da autarquia no que se refere aos espaços de acolhimento empresarial do concelho. “Cabe à autarquia ter uma abordagem muito diferente relativamente a estes espaços, promovendo-os e dando-lhes todas as condições para as empresas aqui se sediarem. Os parques industriais não podem ser esquecidos, devendo ser valorizados e utilizados como fator positivo para a captação de investimento e geração de riqueza em Braga”, afirmou, notando que são já “recorrentes” as queixas dos empresários relativamente à falta de condições dos locais onde estão instalados: “É uma área que condiremos prioritária e na qual iremos promover vários mudanças para muito melhor” 

A finalizar, Rodrigo Oliveira mostrou-se otimista quanto ao futuro da empresa, que conta com 10 colaboradores nos quadros. “Felizmente, os efeitos da crise não se têm feito sentir por demasia neste negócio. Temos vindo a crescer todos os anos e essa é também a perspetiva para o ano corrente”, garantiu, sublinhando que espera que as próximas eleições autárquicas sejam aproveitadas para se efetuar uma “mudança” nos destinos da autarquia: “Braga precisa rapidamente de uma lufada de ar fresco”.

“Juntos Por Braga” apoiam lista independente em Sobreposta

No Comments »


O atual Presidente da Junta de Freguesia de Sobreposta, Alexandre Vieira, será candidato às próximas eleições autárquicas na freguesia, recebendo o apoio de Ricardo Rio e dos “Juntos Por Braga”. Alexandre Vieira pretende dar continuidade ao trabalho que vem desenvolvendo na freguesia. 

Alexandre Vieira tem 38 anos, é licenciado em Contabilidade e Finanças Públicas e trabalha atualmente como Técnico Oficial de Contas. 

Alexandre Vieira sublinha que esta candidatura vem dar seguimento ao trabalho que vem desenvolvendo em Sobreposta ao longo dos últimos anos, e que tem contribuído de forma substancial para o aumento da qualidade de vida na freguesia. “Temos dado passos firmes e seguros rumo ao progresso e crescimento que Sobreposta e a sua população merecem. Atualmente, esta é uma freguesia moderna e dinâmica, onde estou certo de que todos se orgulham em viver”, afirma, sublinhando que as pessoas sentem no seu quotidiano os “enormes benefícios” do trabalho do executivo que lidera. 

Segundo o atual Presidente da Junta, este novo mandato é a melhor forma de continuar um ciclo que tem sido muito positivo para Sobreposta. “Conto com uma equipa jovem, dinâmica e experiente que reúne todas as condições para ir ao encontro das reais necessidades da população”, salienta. 

De acordo com Ricardo Rio, líder dos “Juntos Por Braga”, Alexandre Vieira tem sido uma aposta ganha para Sobreposta. “A freguesia está a atravessar um ótimo momento, muito por força do trabalho da equipa liderada por Alexandre Vieira. Estou convicto de que esta candidatura é aquela que melhor assegura o futuro da freguesia, e no próximo mandato estarão mais uma vez reunidas todas as condições para este executivo continuar a conduzir Sobreposta para um patamar mais elevado de desenvolvimento”, garante. 

Para o candidato à Presidência da Câmara Municipal de Braga, esta é também a solução que garante uma mais alargada convergência de esforços ao nível do trabalho de apoio à candidatura à Câmara Municipal, sendo que os "Juntos por Braga" querem alargar o apoio maioritário que já tem nesta Freguesia.

Ricardo Rio reuniu com “Associação Portuguesa de Rope Skipping”

No Comments »



Modalidade reclama mais apoios por parte da Câmara Municipal
Ricardo Rio, líder dos “Juntos Por Braga”, reuniu com a direção da Associação Portuguesa de Rope Skipping, uma atividade física que tem por base o aproveitamento desportivo do gesto de saltar à corda. Nuno Dias, Presidente da associação, e Sameiro Araújo, candidata a vereadora pelos “Juntos Por Braga”, acompanharam Rio durante esta iniciativa. 

Como explicou Nuno Dias, a associação foi fundada em 2011 por um conjunto de professores de Educação Física com o objetivo de regulamentar, promover e desenvolver o Rope Skipping em Portugal. “Esta é uma estrutura pré-federativa, já que pretendemos que se desenvolva e, a média prazo, torne uma Federação de Utilidade Pública Desportiva, a primeira com sede em Braga”, afirmou, indicando que para que isso aconteça é necessário aumentar o número de praticantes – atualmente são 150 os atletas filiados, mas a meta da associação passa por atingir os 500 nos próximos dois anos - e continuar com a organização periódica de competições. 

O Presidente da associação aproveitou a oportunidade para lamentar a escassa recetividade da Câmara Municipal de Braga para apoiar e incentivar a modalidade. “Devido a essa falta de interesse e apoio da autarquia, em 2012 acabámos por organizar o Campeonato da Europa de Masters de Rope Skipping em Guimarães, que nos recebeu de braços abertos. No futuro, gostaríamos de realizar um evento dessa envergadura em Braga, mas para isso é fundamental uma postura diferente da Câmara Municipal”, enfatizou, sublinhando que tem esperança de que o próximo ciclo autárquico traga outra abertura ao diálogo: “Em grande parte das coisas de que precisamos não está sequer envolvido dinheiro, apenas vontade de fazer melhor e diferente. Para nós, dada a falta de apoios, as ajudas logísticas transformam-se em dinheiro”. 

Por seu turno, Ricardo Rio considerou que a autarquia deve aproveitar de maneira muito diferente as oportunidades que surgem para promover a prática desportiva no concelho. “É essencial que haja uma mudança na postura da Câmara Municipal, cuja obrigação é ter uma sensibilidade maior relativamente a estes assuntos, que nem sequer envolvem despesas relevantes. Da nossa parte, tudo faremos no sentido de desenvolver a modalidade para que em breve se realize uma competição internacional de Rope Skipping em Braga”, adiantou, afirmando que também na área da comunicação e divulgação da modalidade a autarquia pode assumir um papel importante. 

O Rope Skipping, que tem a principal base de atletas em Braga, é já praticado em algumas escolas do concelho. “Temos equipas na Escola André Soares, Colégio João Paulo II e Edifacoop, para além de um Centro de Treinos nos Congregados onde recebemos todos os que queiram praticar a modalidade”, garantiu, destacando que estão totalmente disponíveis e interessados em alargar o projeto a mais escolas. 

Nesse sentido, o candidato à Presidência da Câmara Municipal de Braga recordou que os “Juntos Por Braga” sempre defenderam a prática de desporto entre os jovens, o ecletismo desportivo e o apoio da autarquia às camadas jovens dos vários clubes. “O Rope Skipping está numa fase de crescimento e queremos ser um parceiro na expansão da modalidade, sobretudo entre os mais novos”, garantiu. 

Por fim, Nuno Dias salientou que o Rope Skipping é uma modalidade que envolve muito mais do que simplesmente saltar à corda. “É um desporto onde se utiliza a corda como uma forma de expressão corporal, através de diversos saltos, acrobacias e manejos da corda. Temos provas de velocidade, resistência, potência e Freestyle; e pode-se competir individualmente ou por equipas”, disse, sublinhando que a modalidade, para além de simples e económica, é benéfica para a saúde, contribuindo para a coordenação motora dos jovens: “O Rope Skipping é um excelente método de desenvolvimento da aptidão física, ajudando na flexibilidade, ritmo, resistência, agilidade, equilíbrio, etc.”. 

Centro Social da Paróquia de Adaúfe recebeu visita de Ricardo Rio

No Comments »


Instituição desenvolve trabalho precioso para minorar carências no apoio social à terceira idade 

Ricardo Rio, líder dos “Juntos Por Braga”, visitou as obras a decorrer no novo Centro Social da Paróquia de Adaúfe. O Padre José Sepúlveda, Presidente do Centro, e Agostinho Fernandes, candidato à Junta de Freguesia de Adaúfe pelos “Juntos Por Braga”, acompanharam Rio durante esta iniciativa. 

Como explicou o Padre José Sepúlveda, o Centro Social existe desde 1995 e atualmente está a funcionar de forma provisória nas instalações da residência paroquial. “Ao longo dos anos, fomos realizando várias obras de remodelação nesse edifício, inclusivamente um salão novo para o centro de dia, mas a verdade é que não reunimos as condições ideais. Deparámo-nos então com três cenários: reajustar o edifício, fazer um novo ou fechar”, afirmou, salientando que na impossibilidade de alteração da estrutura do património da paróquia, a opção recaiu sobre a construção de um edifício novo: “Fechar estava completamente fora de questão, este é um apoio social que não podemos retirar aos idosos”. 

Segundo Ricardo Rio, esta IPSS, à semelhança de muitas outras no concelho, desenvolve um trabalho social muito importante no apoio às populações mais carenciadas. “Nos tempos que correm, marcados por enormes dificuldades, este tipo de instituições dão uma ajuda preciosa às comunidades. Sabemos das carências que existem em Braga no apoio à terceira idade, pelo que o trabalho aqui efetuado tem de ser elogiado e merecedor de toda a ajuda que os organismos públicos possam dar”, afirmou, garantindo que a ação social é uma das principais prioridades dos “Juntos Por Braga”. 

O candidato à Presidência da Câmara Municipal mostrou-se muito agradado com o decorrer das obras, manifestando o seu total apoio a este projeto. “Será um edifício que proporcionará condições de exceção para os seus utentes. Esta obra é o espelho do esforço e dedicação de todos os que trabalham no Centro e com ele colaboram, sempre em prol dos mais carenciados”, afirmou. 

O Padre José Sepúlveda sublinhou que o novo edifício, que prevê que esteja finalizado em finais de Setembro e que possa abrir ainda este ano, terá as valências de Centro de Dia e Apoio Domiciliário, duplicando a capacidade atual. “Vamos acolher 20 idosos no centro de dia e 30 no apoio domiciliário. Temos também o projeto aprovado para construção de um Lar de idosos no futuro, que terá de ser num novo edifício, apesar de este que está a ser erguido já ter capacidade de reposta para algumas necessidades do Lar, como a lavandaria, refeitório, etc.”, apontou, apesar de assumir que o Lar é um “sonho” que só se tornará realidade se estiverem reunidas condições financeiras para o projeto avançar: “É um projeto que nos anima e inquieta ao mesmo tempo, mas estamos a fazer todos os esforços para que se realize este desejo”. 

Nesse sentido, também o líder dos “Juntos Por Braga” afirmou que é importante dotar esta zona de uma valência de Lar de terceira idade. “Estamos conscientes das dificuldades de resposta social a este nível nesta freguesia e nas redondezas, pelo que podem contar com todo o nosso empenho para que o Centro continue a desempenhar o fantástico auxílio social que presta e, se possível, estenda esse apoio a mais idosos e famílias”, garantiu. 

A finalizar, o Presidente do Centro Social agradeceu a “generosidade extrema” e a “boa vontade” da população, amigos e empresas da região que tornaram este projeto do novo centro possível. “Uma vez que não tivemos qualquer tipo de apoios do Estado, só assim pudemos avançar com estas obras. Tendo em conta a crise que atravessamos, esta solidariedade é ainda mais digna de registo”, afirmou, destacando que espera que no próximo ciclo autárquico a Junta de Freguesia e a Câmara Municipal apoiem a instituição no que puderem, nomeadamente nos arranjos e infraestruturas exteriores ao edifício.

Ricardo Rio visitou “Grupo Folclórico de S. Martinho Tibães”

No Comments »



Grupo Folclórico reclama mais apoios e atenção por parte dos organismos públicos


Ricardo Rio, líder dos “Juntos Por Braga”, assistiu a um ensaio do Grupo Folclórico de S. Martinho de Tibães, tendo de seguida reunido com alguns elementos da direção. Esta iniciativa foi uma oportunidade para conhecer de forma mais aprofundada o funcionamento do grupo, que se dedica a divulgar as raízes e a cultura do povo de Mire de Tibães, e os obstáculos com que este se depara. José Magalhães, candidato dos “Juntos Por Braga” à Junta de Freguesia de Mire Tibães, esteve também presente nesta visita.

Na ocasião, Rogério Mendes, vice-presidente da coletividade, salientou que o Grupo Folclórico, fundado em 1981, vive com inúmeras dificuldades, sobretudo no que se refere ao espaço para ensaiarem e guardarem o material. “Gostaríamos de ter um local com mais condições para desenvolvermos a nossa atividade e garantirmos a continuidade do grupo. O nosso sonho é termos uma sede onde possamos ensaiar e guardar os nossos instrumentos, lembranças, etc.”, salientou, lembrando que atualmente ensaiam e guardam o material num espaço cedido pela Junta de Freguesia, mas que não dispõe de condições condignas para o grupo trabalhar.

O vice-presidente afirmou ainda que os apoios que o Grupo Folclórico recebe são reduzidos, o que obriga a uma constante ginástica financeira de forma a poderem continuar a desenvolver a sua atividade de forma regular. “Somos chamados para abrilhantar várias festividades, mas o pagamento não cobre os gastos. Os trajes e os instrumentos são caríssimos, o que torna o nosso trabalho mais complicado. Mas vamos conseguindo encontrar outras formas de angariar fundos e até ao momento isso tem-nos permitido continuar”, sublinhou, lamentando os “baixíssimos” apoios da Junta de Freguesia e da própria Câmara Municipal.

De forma a inverter esta situação, Ricardo Rio e José Magalhães assumiram o compromisso de procurar as melhores soluções para que o Grupo Folclórico possa dispor de todas as condições para crescer e darem seguimento ao seu trabalho. “Da nossa parte, tudo faremos para garantir que não são esquecidos e que estarão cada vez mais integrados na vida cultural da cidade, carregando a história, as tradições e os saberes da nossa terra”, garantiu Rio.

Grupo Folclórico desempenha papel social “determinante”

Por seu turno, Ricardo Rio sublinhou que este tipo de coletividades é essencial para preservar as tradições culturais e para desenvolver o sentido de comunidade e a ligação entre as pessoas. “É através da participação neste tipo de grupos que se desenvolve o espirito coletivo e se fortalecem laços de amizade e solidariedade. Sabemos bem do valor do vosso trabalho, que não pode ser ignorado nem menosprezado”, afirmou Rio, falando diretamente aos elementos do Grupo Folclórico.

Nesse sentido, Rogério Mendes referiu que é preciso ter em atenção que o Grupo Folclórico, formado por 44 elementos, desempenha um papel social determinante nesta comunidade. “Efetuamos um trabalho social que considero ser digno de registo, porque para muitas das pessoas que aqui estão, o grupo folclórico é o único meio de saírem de casa e afastarem a solidão. Algumas pessoas não têm família, outras não possuem meios de transporte e outras ainda têm mobilidade reduzida. Através do grupo, têm a possibilidade de sair e visitar outros locais, saindo um pouco da rotina”, considerou, enfatizando que no que se refere aos mais jovens, o grupo é uma forma de os desviar de caminhos perigosos e de os desenvolver culturalmente.

Por fim, o vice-presidente afirmou que tem esperança de que, no futuro, os organismos públicos dispensem uma maior atenção e apoio ao grupo. “Estou confiante de que o próximo ciclo de gestão autárquica trará melhorias neste aspeto. Atualmente, sentimo-nos abafados e à parte, como se não tivéssemos qualquer valor. É algo que conto muito que se altere”, concluiu.