Archive for Julho 2013

Apresentação de Hortense Santos

No Comments »


A actual Presidente da Comissão Administrativa Provisória do Agrupamento de Escolas Carlos Amarante, Hortense Lopes dos Santos, apresentou-se hoje como candidata à Presidência da Assembleia Municipal de Braga pelo “Juntos por Braga”. 

Durante a apresentação, o Professor Miguel Bandeira, colega e amigo da candidata, não lhe poupou elogios: “É uma candidatura extremamente auspiciosa, a Drª Hortense é uma figura muito conceituada no concelho”, acrescentando acreditar que “esta candidatura vai terminar com a estagnação da vida politica em Braga e vai contribuir para a mudança necessária do nosso ciclo politico.” 

Ricardo Rio, candidato à Camara Municipal de Braga reiterou que a escolha da candidata não podia ser mais acertada. “A Drª Hortense tem um perfil discreto, sereno, mas bastante seguro e já trabalha em estreita colaboração com a comunidade há largos anos. Um dos objectivos que temos para o futuro é dar uma injecção de democratização a este órgão vital na vida deste município e esta é a pessoa adequada para que o objectivo se torne possível.” 

Hortense Santos não esconde que este é um desafio aliciante e espera estar à altura do que lhe é pedido, não escondendo o seu desejo de “aproximar os órgãos autárquicos da comunidade e da população.”

Fernando Almeida anuncia candidatura a Maximinos, Sé e Cividade

No Comments »

Candidato Fernando Almeida acompanhado por Ricardo Rio, António Machado (Sé) e Manuel Miranda (Cividade)


Aproveitando a visita de Ricardo Rio às Freguesias, Fernando Almeida anunciou na tarde de ontem a sua candidatura pela União de Freguesias de Maximinos, Sé e Cividade liderando a equipa do “Juntos Por Braga”. Nos primeiros lugares da lista farão ainda parte António Machado representando a Freguesia da Sé e Manuel Miranda proveniente da Freguesia da Cividade.

João Fernando Martins de Almeida de 60 anos é casado e tem 3 filhos. Licenciado em Filosofia e com o curso de Magistério Primário é docente de profissão.

O candidato é conhecido pelos Bracarenses não só como docente e formador mas como um grande activista do associativismo, tendo exercido funções no Ministério da Educação, na APPACDM de Braga, na Escola Europeia de Ensino Profissional. Foi presidente da Academia Ser & Saber até 2009, Presidente da Casa do Professor até 2009. Presentemente colabora, em voluntariado, na Direcção do Patronato de Maximinos e na Associação “In Familia” onde é presidente.

Fernando Almeida é visto pelo candidato à Camara Municipal de Braga pelo “Juntos por Braga”, Ricardo Rio, como “uma enormíssima mais-valia para esta candidatura porque é uma pessoa de absoluta referência pela sua intervenção em diversas esferas, não só como professor mas, também no domínio social”. O professor Fernando Almeida é um dirigente associativo nato e esteve e está ligado a inúmeras entidades, entre as quais a Casa do Professor onde “deixou um legado notável.”

Ricardo Rio aproveitou ainda a oportunidade para referir que “a disponibilidade que o Dr. Fernando Almeida mostrou em poder assumir a liderança desta candidatura foi para nós algo de muito positivo e vem obviamente enriquecer uma equipa com provas dadas na esfera autárquica nestas três Freguesias.”

A iniciar-se na vida politica Fernando Almeida, candidato à União de Juntas de Maximinos Sé e Cividade, explica abertamente que a sua maior motivação são as pessoas e pretende trabalhar em prol das pessoas “quero colocar ao serviço da freguesia o capital experiência que fui adquirindo nos quase 40 anos de vida activa.” Confessa que não consegue ficar indiferente aos problemas que a sociedade está a atravessar e em particular as dificuldades das famílias, jovens e idosos desta união de freguesias lembra ainda a luta pela sobrevivência dos empresários e das instituições locais “Agora podia ter uma vida mais calma, podia sentar-me no sofá relaxar e ficar indiferente a tantos problemas que as freguesias atravessam mas, não consigo.” Continua a acreditar que, “apesar dos constrangimentos a Junta podia ser mais activa”. Salienta por fim que “Somos uma equipa que está motivada para fazer mais e melhor”.

Luís Marques apresentou publicamente a candidatura à Junta de Freguesia de Gualtar

No Comments »




Luís Marques apresentou publicamente a candidatura à Junta de Freguesia de Gualtar, liderando a equipa dos “Juntos Por Braga”. A iniciativa decorreu no auditório da Junta de Freguesia de Gualtar, que encheu por completo com apoiantes e várias personalidades da vida política em Braga, entre as quais se incluiu Ricardo Rio. Na ocasião, foram também apresentados os elementos que constituem a equipa liderada por Luís Marques, assim como os nomes dos vários mandatários.

Na ocasião, Ricardo Rio fez questão de mencionar que o facto de a sala estar repleta de apoiantes é um “forte sinal” de que Gualtar se está a preparar para a mudança. “Este apoio magnífico é a prova de que os Gualtarenses reconhecem a qualidade desta candidatura e estão preparados para abraçar a mudança de rumo que se avizinha. Com a qualidade da equipa liderada por Luís Marques, Gualtar e as suas gentes vão ficar em óptimas mãos”, afirmou.

Para Luís Marques, ser o rosto desta candidatura é uma enorme honra e uma grande responsabilidade. “Este é um projecto que já se iniciou há quatro anos e que temos vindo a desenvolver enquanto oposição, sendo que temos pautado a nossa actuação pela seriedade e orgulhamo-nos muito de termos contribuído para o desenvolvimento da freguesia durante estes anos. Agora, está na altura de assumirmos o executivo da Junta e, com mais ferramentas à nossa disposição, de fazermos muito mais e melhor por Gualtar”, garantiu, salientando que esta é uma equipa que tem do seu lado a experiência do “bem-fazer”.

Segundo o candidato à Junta de Gualtar, é fundamental que todos contribuam para o objetivo de encetar uma mudança e de iniciar um novo rumo. “Pretendemos construir um novo conceito de freguesia, com uma nova gestão. Queremos uma freguesia aberta e acolhedora, que seja uma verdadeira porta de entrada na cidade”, afirmou, lembrando que o facto da Universidade do Minho estar localizada em Gualtar faz com que a freguesia receba todos os anos um elevado número de novos habitantes, que merecem uma freguesia que os saiba acolher

Luís Marques sublinhou que a sua candidatura quer fazer de Gualtar um local onde impere o diálogo e se cumpram as regras democráticas e de respeito, colocando sempre as pessoas em primeiro lugar. “A freguesia já não pode ser pensada como há 30 anos, queremos que Gualtar entre num ciclo de compromisso e obrigações, onde as pessoas e os seus verdadeiros problemas sejam colocados em primeiro lugar”, disse, apontando o apoio social, a educação, a construção de algumas infraestruturas, o associativismo em todas as suas vertentes e o ambiente como áreas prioritárias.

A finalizar, o líder dos “Juntos Por Braga” destacou a enorme coragem e vontade de trabalhar da equipa de Luís Marques. “Ao longo destes quatro anos, desenvolveram um trabalho notável enquanto oposição, muitas vezes em prejuízo das suas vidas pessoas e em ambientes complicados. E destes quatro anos ficou uma certeza: se estivessem no poder, muito mais poderiam ter feito por Gualtar. As pessoas saberão por certo reconhecer esse trabalho”, afirmou.

Câmara Municipal tem de ser o ´braço direito´ das instituições do concelho

No Comments »


Ricardo Rio visitou o “Lar D. Pedro V”, tendo sido acompanhado por Bruno Silva, Diretor Pedagógico da instituição. Como explicou Bruno Silva, esta é uma instituição que tem incorporado um lar de infância e juventude, que acolhe cerca de 30 crianças institucionalizadas. “Estas são crianças que têm as mesmas regalias que qualquer outra criança dita normal e que dispõem de todo o conforto que podemos dar, dentro das nossas limitações. Do ponto de vista dos cuidados de saúde, vestuário, atividades lúdicas, etc., têm tudo para serem o mais felizes possível”, assegurou, salientando que a maior parte destas crianças chegam com cerca de 14 anos e ficam até atingirem a maioridade, apesar de ser aconselhado pela instituição que permaneçam até aos 21 anos, de forma a prolongarem os estudos. A instituição tem também as valências de pré-escolar, ATL e primeiro ciclo, frequentados por mais de 200 crianças. 

Na ocasião, Ricardo Rio salientou que esta é uma instituição com grande história na cidade e que desenvolve um “notável” trabalho a nível social. “O apoio que dão às crianças é fu8ndamental e digno de todos os elogios. Numa altura de grandes dificuldades, é muito importante o trabalho que instituições como esta desenvolvem para ajudarem quem mais importa, que são as crianças”, adiantou. 

De acordo com o Diretor Pedagógico do Lar D. Pedro V, seria desejável que existisse uma relação de maior colaboração entre a autarquia e as instituições do concelho. “A verdade é que é muito difícil para uma instituição viver sem estabelecer uma relação próxima com a autarquia. O que nós esperamos é que exista essa proximidade e que a Câmara Municipal conheça os problemas efetivos das instituições”, afirmou, sublinhando que espera que a próxima gestão autárquica traga uma mudança nessa relação e que as instituições contem com um “braço direito” no executivo autárquico. 

Segundo Bruno Silva, há muito que se pode fazer sem se gastar “um único cêntimo”. “Sabemos bem que o dinheiro escasseia, e nem sequer é isso que pedimos. Mas pedimos atenção e que a Câmara assuma a função de promover redes de parcerias que permitam potenciar as atividades que efetuamos”, afirmou, enfatizando que a instituição está totalmente disponível para trabalhar em rede. 

Nesse sentido, Rio reafirmou que os “Juntos Por Braga” estarão sempre disponíveis para trabalhar em ambiente de diálogo constante com as instituições. “Pretendemos colaborar muito mais ativamente com as instituições do que tem sido feito até ao momento. Podem contar connosco para ajudar a criar todas as condições para que possam desenvolver o vosso fantástico trabalho ”, afirmou. 

O Lar D. Pedro V está sediado em S. Lázaro, num edifício do século XVII que necessita de constantes recuperações. “Este é um edifício belíssimo, com uma vasta história e riqueza patrimonial. Vamos fazendo as coisas aos poucos, nunca gastando mais do que podemos”, afirmou Bruno Silva, pedindo também alguma atenção por parte das entidades públicas competentes com a preservação do património que existe no edifício. 

Ricardo Lopes anunciou candidatura à União de Freguesias de Morreira e Trandeiras

No Comments »



Ricardo Lopes anunciou a candidatura às próximas eleições autárquicas na união de freguesias de Morreira e Trandeiras, liderando a equipa dos “Juntos Por Braga”. Ricardo Lopes efetuou o anúncio aproveitando a visita de Ricardo Rio às duas freguesias. 

Ricardo Manuel Ribeiro Lopes nasceu em 1980, é casado e tem um filho. É licenciado em Ensino de Matemática, pela Universidade do Minho, desde 2007 e possuí um CAP de Formador, desde 2008. Exerceu, por diversas vezes, a profissão de docente do terceiro ciclo do ensino básico e secundário. Atualmente é colaborador no ‘Ginásios da Educação Da Vinci’ – multisserviços de educação. Integra a Assembleia de Freguesia de Trandeiras desde as últimas eleições autárquicas e é dirigente associativo há cerca de dez anos, tendo colaborado em vários projetos de âmbito nacional e local. 

De acordo com Ricardo Lopes, esta é uma candidatura que quer garantir a mudança nestas duas freguesias que estão a necessitar de uma “lufada de ar fresco”. “Temos uma equipa jovem, dinâmica, com grande capacidade de trabalho e sobretudo com uma vontade enorme de alterar o estado de coisas em Morreira e Trandeiras, que precisam de um impulso rumo à modernidade e ao progresso”, salientou. 

Para Ricardo Lopes, esta é a altura de se colocar o lado humano como principal prioridade. “Temos assistido a gestões que colocam as pessoas num papel secundário, e face á atual conjuntura, consideramos que esse é um caminho totalmente errado. Queremos trabalhar sempre junto da população, sendo os primeiros a acorrer às suas reais necessidades”, afirmou, apontando também os fatores de animação, o apoio às coletividades e o estímulo à participação dos jovens na vida das freguesias como prioridades. 

Segundo o candidato à união de freguesias de Morreira e Trandeiras, a população está bem ciente da urgência da introdução de uma política diferente que seja capaz de garantir o progresso das duas freguesias. “Continuaremos a trabalhar no sentido de provar às pessoas que somos a melhor escolha para a garantia de um futuro melhor para Morreira e Trandeiras. Estamos certo de que a população saberá reconhecer os nossos méritos”, sublinhou, garantindo que esta “onda de mudança” só estará completa se Ricardo Rio for eleito Presidente da Câmara Municipal de Braga. 

A equipa de Ricardo Lopes integra elementos de grande valia de ambas as Freguesias, com provas dadas nos mais diversos domínios de intervenção social e profissional. De entre estes, a primeira representante da Freguesia da Morreira é Maria José Pereira, anterior cabeça de lista do Juntos por Braga a esta Assembleia de Freguesia. 

Por seu turno, o líder dos “Juntos Por Braga” afirmou que esta é uma candidatura que reúne todas as condições para ter sucesso. “Da nossa parte, podem contar com a garantia de que iremos trabalhar no sentido de desenvolver as freguesias e dotá-las e todas as condições”, afirmou, lembrando que estas são duas freguesias de beleza ímpar que importa preservar.

Ricardo Rio participou em conferência sobre Turismo Religioso

No Comments »


Turismo é uma área chave para o desenvolvimento económico de Braga

Ricardo Rio, líder dos “Juntos Por Braga”, participou numa conferência sobre turismo religioso promovido pela Escola de Formação “Gestão, Tecnologia e Inovação, S.A.” (GTI). O debate decorreu no salão nobre do Lar D. Pedro V e foi organizado pelos formandos do curso de Aprendizagem —Técnico/a de Turismo Ambiental e Rural, com o objetivo de dar a conhecer o mercado do Turismo, um sector estratégico e prioritário para o futuro de Braga. O Cónego José Paulo Abreu, Presidente da Turel, e Joana Garrido, ex-vereadora da Câmara de Barcelos, também fizeram parte do elenco de oradores desta iniciativa.

Durante a sua intervenção, Rio salientou que o Turismo deve ser encarado como uma área chave para o desenvolvimento económico de Braga. “É muito importante para a cidade trabalhar a captação de turistas e, consequentemente, de recursos financeiros. Mas é preciso ter a perfeita consciência de que atrair turistas é uma tarefa complicada e que exige investimento e empenho”, afirmou, lembrando que esta é uma área onde existe enorme concorrência. “Há centenas de destinos que tentam captar a atenção dos turistas, pelo que só os melhores conseguem bons resultados”.

Para o líder dos “Juntos Por Braga”, é essencial que Braga saiba desenvolver competências próprias e distintivas relativamente aos outros locais. “A nível religioso, tal como noutras vertentes, a cidade tem um potencial de atratividade enorme que precisa de ser melhor explorado e comunicado, para que as pessoas que nos visitam se sintam recompensados, apreciem a experiência e sintam vontade de voltar. Até ao momento, a autarquia não tem demonstrado nem a vontade, nem a competência para desenvolver uma estratégia turística e potenciar o nosso legado histórico de grande valor”, lamentou.

Nesse sentido, Rio sublinhou que os “Juntos Por Braga” pretendem alterar esse panorama e efetuar um investimento sério no turismo, que permita transformar o património do concelho em fonte de rendimento e geração de atividade económica. “Queremos implementar um modelo de desenvolvimento diferente e sustentado, que se irá basear na aposta na qualidade do serviço aos turistas e no incentivo ao empreendedorismo”, realçou, enfatizando que se nada se alterar e não houver nenhum tipo de investimento no turismo, será praticamente impossível requalificar a zona envolvente dos locais de atração da cidade e garantir a sua preservação.

A finalizar, o candidato à Presidência da Câmara Municipal afirmou que todos são responsáveis por promover o turismo e apelou a que cada um assuma as suas responsabilidades. “Os órgãos de turismo a nível nacional têm de apoiar na promoção, as autarquias têm de criar fatores de animação e informação para que as pessoas que nos visitam se sintam recompensados e os cidadãos comuns têm de dar mais valor ao que é seu e ter orgulho em conhecer a história do seu património”, finalizou.

Conferência foi “momento ímpar” para os formandos

Por seu turno, Filipe Oliveira, responsável pedagógico do sistema de aprendizagem da GTI, garantiu que esta conferência foi importante para aumentar as competências e conhecimento dos formandos e para motivá-los a avançar para o estágio com um conhecimento vasto sobre a sua região. “Estamos num concelho com um historial e tradição a nível de turismo religioso muito vincada, pelo que esta foi uma iniciativa que achamos que faz todo o sentido”, disse, lembrando que se sente ainda a necessidade de se divulgar melhor a região e os seus monumentos. 

Filipe Oliveira sublinhou que a conferência foi uma excelente oportunidade para se proporcionar aos jovens presentes um momento ímpar nos seus percursos formativos. “Estiveram presentes perto de uma centena de jovens oriundos da delegação de Braga da GTI, e estou certo de que saíram deste evento com uma ideia mais clara do que é o património da cidade e de que forma este pode ser determinante para a criação de riqueza no concelho”, declarou.

No final da conferência, os formandos dos cursos de Técnico Comercial, Técnico de Logística, Técnico de Turismo Rural e Técnico de Informática receberam os diplomas pela conclusão dos cursos.

José Martinho anunciou candidatura à Junta de Freguesia de Espinho

No Comments »



José Martinho será o candidato às próximas eleições autárquicas na freguesia de Espinho, liderando a equipa dos “Juntos Por Braga”. José Martinho assume esta candidatura com o objectivo de colocar a freguesia no rumo do desenvolvimento e do progresso que esta merece.

José Mendes Martinho tem 51 anos de idade, é casado e pai de duas filhas e avô de um neto. É natural de Sande S. Martinho, Guimarães, e residente em Espinho, Braga, há cerca de 28 anos. A nível profissional, trabalha desde 2010 como comercial na empresa Orto Maia e mais recentemente lidera uma equipa de produção na mesma empresa actualmente designada por Orthos XXI que trabalha na área de apoio à saúde. José Mendes Martinho fez também parte de várias associações e confrarias, entre as quais o S. Martinho. Colabora habitualmente com o Grupo Coral de Espinho do qual faz parte da direcção

De acordo com o candidato à Junta de Espinho, este é um projecto diferente e inovador que pretende dar um outro rumo à freguesia. “Temos uma equipa dinâmica e que está bem ciente dos desafios que tem pela frente. Conhecemos bem as carências de Espinho e iremos sempre trabalhar no sentido de servir da melhor maneira a população da freguesia”, salientou.

Para José Martinho, está na altura de se dar uma especial atenção à área social e aos problemas do dia-a-dia das pessoas, sobretudo as mais carenciadas. “A conjuntura social e económica não está fácil, e Espinho necessita de uma Junta que esteja bem ciente dessas dificuldades e disponível para ouvir e ajudar a população. A vertente humana e a proximidade serão grandes prioridades para a nossa candidatura”, sublinhou.

José Martinho acredita que a comunidade está disponível para abraçar um projecto de mudança que indique um caminho novo à freguesia. “Estamos certos de que as pessoas se irão rever na nossa candidatura e que reconhecerão os inúmeros benefícios que uma mudança política trará a Espinho, tanto na Junta de Freguesia como na Câmara Municipal”, afirmou, enfatizando que é igualmente fundamental que Ricardo Rio seja eleito como o próximo Presidente da Câmara: “Braga precisa de uma autarquia que se interesse verdadeiramente pelo desenvolvimento das suas freguesias, em especial as mais afastadas do centro urbano”.

Por seu turno, Ricardo Rio agradeceu a disponibilidade de José Martinho e de toda a sua equipa em abraçar esta candidatura com enorme coragem, força e ambição. “Esta é uma equipa jovem e de muita qualidade, que unida poderá trazer grandes benefícios para Espinho”, garantiu, declarando que esta freguesia, tal como as restantes, pode contar com todo o apoio dos “Juntos Por Braga”, sempre numa lógica de igualdade de tratamento que actualmente não sucede.

Ricardo Lopes é o candidato “Juntos por Braga” à Junta da União de Freguesias de Morreira e Trandeiras

No Comments »



Ricardo Manuel Ribeiro Lopes nasceu em 1980, em Braga, é casado e tem um filho.

É licenciado em Ensino de Matemática, pela Universidade do Minho, desde 2007 e possuí um CAP de Formador, desde 2008. Exerceu, por diversas vezes, a profissão de docente do terceiro ciclo do ensino básico e secundário. Actualmente é colaborador no ‘Ginásios da Educação Da Vinci’ – multisserviços de educação.

Integra a Assembleia de Freguesia de Trandeiras desde as últimas eleições autárquicas e é dirigente associativo há cerca de dez anos, tendo colaborado em vários projectos de âmbito nacional e local. Colaborou na preparação e realização de um projecto de nível europeu, realizado em Portugal, que juntou mais de três mil jovens e desempenha a função de formador de adultos dentro da associação a que pertence.

Soarense é um dos clubes com mais história do concelho e uma referência para a comunidade

No Comments »

Ricardo Rio visitou “Soarense Sport Club”


Inserido num ciclo de contactos com diversos agentes de diferentes âmbitos de actuação, Ricardo Rio visitou o Soarense Sport Clube, um dos clubes com mais história e tradição no concelho e que está sediado na freguesia de S. Vicente. Jorge Pires, Presidente da Junta de Freguesia de S. Vicente, João Silva, Presidente do clube, e vários membros da direcção acompanharam Rio durante esta iniciativa.

Como explicou João Silva, o Soarense é um dos clubes mais antigos do concelho, tendo sido fundado em 1926, apesar de se estarem a reunir elementos que podem prover que a fundação foi anterior a esse ano. “Actualmente temos as modalidades de bilhar, atletismo e equipa sénior de futebol. Está em andamento o projecto para criação de camadas jovens, que queremos que arranque já este ano mas que ainda está dependente da negociação de duas a três horas por semana de cedência do campo com outro clube da freguesia”, disse, reforçando que a criação de camadas jovens é essencial para o futuro da colectividade.

De acordo com Ricardo Rio, esta reunião foi uma forma de os “Juntos Por Braga” reiterarem a sua vontade de colaborar activamente com todas as colectividades do concelho que desenvolvem um trabalho notável de integração e reforço da identidade das comunidades onde estão inseridas. “Este é um clube que, por todo o seu historial, desenvolveu uma ligação fortíssima com a população da zona das palhotas. Esses laços sentimentais e de solidariedade que se formam são a principal alma de um clube”, afirmou, sublinhando que os clubes são formados por pessoas e são as pessoas que mais importam.

Por seu turno, o Presidente do Soarense salientou que o clube necessita urgentemente de uma nova sede, sendo que este é “grande sonho” que tem sido consecutivamente adiado pela Câmara Municipal. “Já tivemos várias promessas, mas ainda nada se concretizou. Esperemos que seja um processo que tenha uma resolução para breve, porque a sede actual não permite acolher as iniciativas que queremos desenvolver”, destacou.

Segundo o líder dos “Juntos Por Braga”, a concretização do projecto da nova sede do Soarense é algo que tanto o clube como a comunidade já merecem. “Da nossa parte, iremos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para que o Soarense disponha de condições dignas para exercer a sua actividade, o que engloba uma sede que permita intensificar o trabalho lúdico e social do clube”, garantiu.

Por outro lado, o candidato à Presidência da Câmara Municipal de Braga aproveitou a oportunidade para apelar à criação de um ambiente de maior parceria e entreajuda entre as diversas colectividades do concelho, e em particular entre as que estão situadas na mesma freguesia. “Ao longo dos anos estimulou-se excessivamente uma lógica concorrencial, em que alguns levaram ao milite a máxima ´dividir para reinar´. Este é o momento de se promover o estreitamento de laços e o reforço da colaboração entre clubes, porque com isso todos sairão a ganhar: as comunidades, os clubes e o próprio concelho no seu todo”, afirmou.

A finalizar, João Silva apelou aos organismos públicos que tenham uma maior atenção à necessidade de se intensificar o apoio social às populações. “S. Vicente é uma freguesia que já merecia ter um parque desportivo, que pudesse ser usufruído por clubes, escolas, etc. Temos também de ter atenção aos mais idosos, que têm de ser respeitados e ter uma terceira idade com qualidade de vida”, alertou, enfatizando que o clube, em parceria com outras associações, procura desenvolver actividades lúdicas para que jovens e idosos possam passar os seus tempos livres de forma saudável.

Câmara Municipal tem de funcionar como parceiro das empresas do concelho

No Comments »

Ricardo Rio reuniu com empresa “LAM”


Englobado num ciclo de contactos com diversos agentes empresariais do concelho, Ricardo Rio visitou a empresa Manuel António & Liliana Lda (LAM). Liliana Costa, gerente da empresa, acompanhou Rio durante esta iniciativa,

Como explicou Liliana Costa, esta é uma empresa que se dedica às instalações eléctricas, abrangendo as áreas de protejo, comercialização e instalação. “Uma parte substancial do nosso negócio está localizado em Angola, onde fazemos uma aposta forte e obtemos cerca de 45% dos lucros”, salientou.

A LAM, fundada em 2007, está sediada no Parque Industrial de Celeirós. No entanto, segundo a gerente da empresa, as condições estão longe de ser as ideais. “Mudámo-nos para esta zona há cerca de um ano e meio e, apesar das instalações serem adequadas para a nossa actividade, a zona envolvente está a precisar urgentemente de melhoramentos”, salientou, apontando a degradação dos pavilhões à volta, a falta de cuidado urbanístico e a escassez de iluminação pública, com consequente falta de segurança, como os principais problemas do Parque. “Muitos pavilhões estão em desuso há cerca de seis anos ou mais, o que dá ao Parque um ar desolador de aparente abandonado”.

De acordo com Ricardo Rio, este Parque Industrial tem uma localização privilegiada no concelho - por via dos acessos “fantásticos” de que dispõe - que deveria ser aproveitada para captar investimento. “É de lamentar que esta seja uma área que tem vindo a ser paulatinamente esquecida, com demasiadas zonas degradadas e sem condições de segurança, sendo estes obstáculos claros à captação de novos investimentos ou ao incentivo à permanência das empresas no local”, criticou, apontando a baixa taxa de ocupação do Parque Industrial como prova do desinteresse da autarquia por um local com capacidade para trazer mais-valias para o concelho. “Pretendemos ter para com todas estas infraestruturas uma abordagem muito diferente, que permita a sua valorização e utilização como factor positivo para a captação de investidores e geração de riqueza”.

Segundo Liliana Costa, é também fundamental que a Câmara Municipal tenha uma postura mais “amiga” das empresas. “No nosso caso, posso afirmar que tivemos problemas com o licenciamento do Pavilhão que consideramos simplesmente ridículos, e que fizeram com que tivéssemos de atrasar a abertura do espaço em cerca de seis meses por questões puramente burocráticas”, declarou, sublinhando que a autarquia está a criar impedimentos às empresas e à actividade económica.

Nesse sentido, o líder dos “Juntos Por Braga” enfatizou que este tipo de reparos por parte das empresas à actuação do executivo municipal é já uma história “demasiado recorrente”. “Existe uma grande preocupação por parte dos empresários pela forma como os seus problemas, por vezes simples, demoram muito tempo a ser resolvidos. Queremos desenvolver uma postura de diálogo permanente para, de forma directa e objectiva, resolver rapidamente as dificuldades das empresas e fazer da Câmara um parceiro e não um obstáculo”, garantiu, notando que no caso particular desta empresa, a situação é ainda agravada pela situação de créditos relativos a projectos municipais que estão por liquidar.

A finalizar, Liliana Costa evidenciou que, apesar da conjuntura económica não ser favorável, as perspectivas de futuro para a LAM são “muito positivas”. “Somos uma empresa recente, mas estamos no processo de consolidação e temos a garantia de estabilidade derivada do negócio no mercado Angolano”, afirmou.

Agostinho Fernandes anunciou candidatura à Junta de Freguesia de Adaúfe

No Comments »



Agostinho Fernandes será candidato às próximas eleições autárquicas na freguesia de Adaúfe, liderando a equipa dos “Juntos Por Braga”.

Agostinho Fernandes nasceu em 1963 e é natural de Adaúfe. Desde 1989 que exerce a sua actividade profissional numa empresa de construção civil, onde desempenha funções de direcção de obra e projectista. Na freguesia, já exerceu vários cargos, tendo sido membro e dirigente do Grupo Juvenil de Adaúfe e secretário do Grupo Desportivo de Adaúfe.

O candidato à Junta de Adaúfe assume que aceitou liderar esta candidatura porque tem a clara noção das dificuldades da freguesia e da necessidade urgente de uma mudança de rumo. “Estou motivado pela certeza de que com empenho, verdade, transparência, motivação, pensamento positivo e sobretudo muito trabalho é possível inverter a situação negativa em que nos encontramos”, sublinha.

De acordo com Agostinho Fernandes, a equipa que vai liderar está preparada para servir os Adaúfenses, tomando atitudes pro-activas e concretas de apoio e recuperação social. “Neste contexto de grandes dificuldades em que vivemos, é prioritário ajudar quem realmente precisa e agir sempre que necessário para ajudar a população. Estaremos atentos às situações de maior carência e queremos estar na linha da frente no apoio a essas pessoas”, reforça.

Para o candidato à Junta de Adaúfe, este é projecto novo e uma lufada de ar fresco que Adaúfe bem precisa. “Dedicaremos todo o nosso esforço em prol do progresso da terra que me viu nascer e que pretendo ver melhorada a todos os níveis. Não nos conformados com a situação actual e queremos muito mais e melhor para Adaúfe”, adianta.

Segundo Agostinho Fernandes, é essencial que se acredite que a mudança é possível e está muito próxima. “Vamos acreditar no futuro, promovendo a mudança que toda esta comunidade deseja. Trabalhando em equipa, e com a qualidade das pessoas que nos rodeiam, estou certo de que estão reunidas todas as condições para colocarmos Adaúfe no caminho do progresso e do desenvolvimento”, garante.

Câmara Municipal tem de assumir postura radicalmente diferente na área da captação de investimento empresarial

No Comments »

Fórum Investimento “Por Braga”


Os “Juntos Por Braga” realizaram, no Hotel Mercure, o Fórum Investimento “Por Braga”. A iniciativa contou com a presença de Pedro Reis, Presidente da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal – Portugal Global (AICEP), Manuel Caldeira Cabral, Docente da Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho, e António Murta, Presidente da Comissão de Honra da Candidatura de Ricardo Rio. Este evento contou com uma grande adesão do público e em particular de muitos empresários Bracarenses, enchendo por completo o auditório do Hotel Mercure onde o Fórum se realizou.

Esta foi uma oportunidade para se discutirem e partilharem estratégias e experiências relativamente a uma das principais preocupações e prioridades dos “Juntos Por Braga” para o futuro da gestão municipal, a dinamização e promoção económica da cidade.

Durante a sua intervenção, Ricardo Rio salientou que uma Câmara Municipal que queira seguir este desígnio como prioritário não se pode ficar pelos “serviços mínimos”. “Para obtermos resultados, cabe à autarquia assumir uma postura radicalmente distinta no relacionamento com o tecido empresarial, com as associações empresariais, a Universidade e o polo de desenvolvimento ainda pouco explorado que é o Instituto de Nanotecnologia”, afirmou, sublinhando que se os agentes de desenvolvimento local se reunirem e trabalharem em conjunto, é possível oferecer aos investidores os factores de atractividade que estes procuram.

Segundo o líder dos “Juntos Por Braga”, é essencial que o executivo autárquico estabeleça uma relação próxima com as empresas instaladas no território, cooperando permanente com as mesmas e percebendo quais as suas preocupações diárias. “É incompreensível que quem tenha responsabilidades sobre a área das actividades económicas na Câmara Municipal esteja somente à boca das eleições a conhecer as realidades empresariais”, criticou, reforçando que a autarquia não tem cumprido o papel de facilitador que se exige e que não tem estado atenta aos pormenores que fazem “toda a diferença” para o funcionamento das empresas.

Ricardo Rio reafirmou que irá liderar o pelouro do desenvolvimento económico, indo ao encontro da ideia que tem defendido de que esta é uma tarefa que exige o mais alto envolvimento das entidades públicas. “Temos consciência de que esta não é uma questão que se resolva da noite para o dia ou até no espaço de um mandato autárquico, mas estamos a trabalhar num horizonte alargado de 10/12 anos e assumimos claramente como objectivo e desígnio fazer com que nesse horizonte Braga seja o principal destino de investimento do país, por via do dinamismo que aqui iremos criar”, assegurou, lamentando o facto de actualmente existirem empresas sólidas que, por falta de infraestruturas de qualidade na cidade, vêem os seus projectos de crescimento bloqueados.

Por fim, o candidato à Presidência da Câmara Municipal enfatizou que para o concelho ser atractivo para os empresários, é fundamental que exista também uma boa qualidade de vida. “Se isso não acontecer, e por muito que tenhamos politicas fiscais amigas das empresas ou incentivos para a fixação de empresas, não conseguiremos ser competitivos na captação de investimento”, concluiu.


Definição de uma estratégia a longo prazo é fundamental

Por seu turno, Pedro Reis, Presidente da AICEP, adiantou que a economia portuguesa tem vindo a registar uma subida nas exportações, que muito se deve à capacidade dos empresários em arriscar, tomar decisões e vencer os inúmeros bloqueios que ainda existem em Portugal à actividade empresarial.

De acordo com Pedro Reis, é essencial a aposta na captação de investimento, no financiamento, no combate à burocracia e a necessidade de se trabalhar consistentemente e a longo prazo o posicionamento do país. “Há muito por fazer em termos de políticas publica de captação de investimento, que é um processo que deve ser feito de uma forma cirúrgica. É essencial que se defina de uma vez por todas uma política económica e estratégias sectórias claras”, apontou, afiançando que hoje em dia ninguém sabe dizer o que o Portugal quer alcançar em vários sectores e que estratégia está a desenvolver: “É importante que se defina bem o posicionamento que queremos ter daqui a 10 anos e de que forma é que vamos interagir com os outros sectores. Temos de estar ao nível do esforço que as empresas estão a fazer”.

Pedro Reis acredita que Portugal tem condições de excepção para atingir patamares de maior sucesso na captação de investimento. “Temos um posicionamento geoestratégico ímpar, não há nenhum investidor que não esteja interessado no nosso acesso privilegiado aos mercados da África e da América Latina. Também não há nenhum investidor que não reconheça a qualidade espantosa dos nossos recursos humanos e que não valorize as nossas infraestruturas”, confirmou, afirmando que é necessário uma maior capacidade de acção e que a AICEP tudo está a fazer para dinamizar e modernizar o sector empresarial: “Mais vale ter a coragem de ser criticado mas ter a vontade de fazer alguma coisa”.

Também Manuel Caldeira Cabral, Professor da Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho, defendeu que é muito importante que uma autarquia trabalhe no sentido de garantir um conjunto de funcionalidades que possam atrair investimento. “Há um conjunto de medidas que podem ser implementadas e que fazem toda a diferença, como a constituição de estruturas de apoio às empresas e gabinetes de apoio ao investimento, facilitar o acesso a áreas com licenciamento e estruturas de acesso que as empresas industriais e os serviços precisam ou simplesmente falar com as empresas que têm problemas às vezes muito simples não têm interlocutores a quem possam apresentar as suas questões”, apontou.

Manuel Caldeira Cabral afirmou ainda que a aposta na exportação é crucial para o sucesso do país. “Nos próximos anos, o que o país pode crescer está muito relacionado com o que conseguirá exportar. Num país pequeno como Portugal, a internacionalização tem de estar presente com muita força, já que se as exportações não crescerem acima das importações, teremos uma fatura muito desagradável para pagar”, declarou.

O Professor da Escola de Economia e Gestão afirmou ainda que o mais comum é ver-se as autarquias a não fazerem nada em matéria de captação de investimento, com o argumento que isso depende sobretudo do Estado Central, atitude que considerou errada e que afirmou que não defende os interesses dos concelhos.

Arraial Minhoto marcado pela animação e pela enorme adesão da população

No Comments »



A coligação “Juntos Por Braga” realizou um Arraial Minhoto no Parque de Merendas de Merelim S. Paio. A iniciativa decorreu em ambiente de enorme festa e a animação estendeu-se pela noite dentro. Esta foi uma forma de os “Juntos Por Braga” promoverem o convívio e a boa disposição entre os candidatos e os inúmeros apoiantes, que fizeram questão de marcar presença neste evento e encheram por completo o recinto.
De acordo com Ricardo Rio, este foi sobretudo um momento de descontracção que se pretendeu propiciar a todos os presentes, com muita música e animação à mistura. “Esta foi uma iniciativa lúdica em que desafiamos as pessoas a divertir-se e a passar uma tarde diferente em boa companhia, algo essencial nos tempos de dificuldades que atravessamos”, afirmou, garantindo que o Arraial foi também uma oportunidade para se promover as diversas colectividades e os grupos culturais do concelho: “Tivemos um programa muito diversificado e ficou demonstrado pela enorme adesão da população que esta é uma candidatura transversal e que coloca sempre as pessoas em primeiro lugar”.

Segundo Rio, a candidatura que lidera é cada vez mais inclusiva e mobilizadora, algo que é bem evidente pelo número crescente de pessoas que estão a aderir a este “movimento de mudança”. “Temos angariado um apoio muito significativo um pouco por todo o concelho, desde as freguesias rurais às mais citadinas. Até ao dia das eleições, estou certo de que vamos continuar a conquistar o apoio de todas as franjas da população e demonstrar que temos um projeto que merece a confiança que as pessoas depositam em nós”, enfatizou

Para o líder dos “Juntos Por Braga”, este Arraial Minhoto permitiu ainda às pessoas desfrutarem de espaço muito agradável do concelho e que é desconhecido para boa parte dos Bracarenses. “Quisemos promover e dar a conhecer este Parque de Merendas, localizado junto ao Rio Cávado. Esta escolha vem no seguimento do nosso projecto de aproveitamento e animação crescente das Margens do Cávado, um espaço que pretendemos que seja requalificado e cada vez mais valorizado”, sublinhou, salientando que estes espaços são ideais para estimular o convivo da população com a natureza e aumentar a qualidade de vida em Braga.

A animação do evento esteve cargo de vários grupos bem conhecidos de todos os Bracarenses. Os Bomboémia - Grupo de Percussão da Universidade do Minho -, a Rusga de Merelim S. Paio, o Borguinha de Braga, o Grupo Folclórico Infantil e Juvenil do Carreiro de Escudeiros, a Banda Novo Império de Merelim S. Pedro e o músico Hugo Torres foram os responsáveis pela animação da iniciativa. Durante a tarde, realizaram-se também vários jogos tradicionais entre os presentes, sendo que na ementa constou Porco no Espeto, Frango no Churrasco, bebidas e, como não podia faltar, muita animação.

Ana Maria Ferreira anunciou candidatura à Junta de Freguesia de Lamas

No Comments »


Ana Maria Ferreira será candidata às próximas eleições autárquicas na freguesia de Lamas, liderando a equipa dos “Juntos Por Braga”. Ana Maria assume que esta é uma candidatura que pretende trazer à freguesia os “ventos de mudança” de que esta tanto necessita.

Ana Maria Igreja Magalhães Ferreira nasceu em 1967, em Ribeira de Pena – Vila Real. É casada e tem dois filhos. Licenciada em Educação pela Universidade do Minho, é também Mestre em Educação, Área de Especialização em Formação, Trabalho e Recursos Humanos. Exerce funções na Escola de Direito da Universidade do Minho desde 2001. Integra a Assembleia de Freguesia desde as últimas eleições autárquicas e tem sobre a sua responsabilidade a coordenação da catequese da Paróquia de Lamas.

Segundo a candidata à Junta de Lamas, este é um projecto que pretende dar um rumo diferente à freguesia. “Esta é uma candidatura moderna e inovadora, que pretende unir a população e colocar Lamas definitivamente no caminho do desenvolvimento e do progresso”, salientou, garantindo que é possível fazer muito “mais e melhor” pela freguesia.

Para Ana Maria Ferreira, esta é uma equipa que representa a mudança de que Lamas está a necessitar urgentemente. “Queremos trazer ideias novas e diferentes para a freguesia, e acreditamos que as pessoas se revêm no nosso projecto e estão prontas para inverter este ciclo que pouco tem trazido a Lamas”, assegurou, salientando que irá apostar prioritariamente na área social e na dinamização das diversas colectividades.

Por fim, a candidata dos “Juntos Por Braga” garantiu que pretende que a Junta de Freguesia esteja mais próxima da comunidade que serve. “Podemos garantir que estaremos sempre disponíveis para receber as pessoas e ouvir os seus problemas, fazendo tudo o que estiver ao nosso alcance para melhorar qualidade de vida em Lamas. Temos a obrigação de estar na linha da frente da ajuda à população e é isso mesmo que iremos fazer”, concluiu.

Ricardo Rio reuniu com Presidente da “AAUM”

No Comments »


Oportunidades de colaboração entre autarquia e AAUM devem ser aproveitadas

Ricardo Rio, líder dos “Juntos Por Braga”, reuniu com o Presidente da Associação Académica da Universidade do Minho (AAUM), Carlos Videira. Este encontro, no seguimento de outros contactos efetuados com diversos núcleos estudantis e associações culturais da academia, foi sobretudo uma oportunidade para se debaterem as oportunidades de colaboração e parceria entre a Câmara Municipal e a AAUM e, de forma mais ampla, para se reiterar a vontade de promover uma política de muito maior aproximação entre a Universidade e a cidade.

De acordo com o candidato à Presidência da Câmara Municipal, é fundamental que se percebam bem quais as ambições que os estudantes da Universidade do Minho têm, para que a partir daí se possam desenvolver iniciativas que deem respostas a essas pretensões. “É prioritário identificar as imensas oportunidades de colaboração que existem entre a autarquia, as Juntas de Freguesia e as estruturas da academia de forma a que se efetue um trabalho conjunto que muitos benefícios trará tanto aos estudantes como à cidade”, afirmou.

Por seu turno, Carlos Videira, que tomou posse como Presidente da AAUM em Janeiro deste ano, enfatizou que a associação está totalmente aberta e interessada em manter um espirito de maior diálogo e proximidade com o executivo autárquico. “Existe uma colaboração pontual a alguns níveis, sobretudo nos eventos de maior impacto, como é o caso do Enterro da Gata. Mas há muito para fazer e seria importante que se conseguisse aumentar o nível de colaboração e a frequência do diálogo”, reforçou.

Para Rio, áreas como a cultura, o apoio ao empreendedorismo, o reforço da empregabilidade ou o aproveitamento de espaços públicos merecem uma maior atenção por parte da autarquia, que em conjunto com a AAUM poderia desenvolver diversas iniciativas no sentido de dinamizar estas componentes. “Há muitas oportunidades que podem e devem ser exploradas e é esse rumo que os ´Juntos Por Braga´ pretendem seguir na próxima gestão autárquica”, garantiu.

Também Carlos Videira reforçou que no que se refere a assuntos como a fixação dos estudantes no centro, o apoio social, a intervenção cultural dos diversos grupos culturais da UM, a empregabilidade e o empreendedorismo ou as politicas de juventude, a AAUM tem um pensamento transversal que inclui parcerias com os agentes locais e a autarquia. “Queremos interagir com a nova gestão autárquica e com as forças vivas da cidade no sentido de resolver problemas que existem, e que estão perfeitamente identificados, e potenciar as oportunidades que se podem aproveitar e que também estão à vista de todos”, disse.

Dívidas da CEJ mancham colaboração proveitosa

Nesse sentido, o Presidente da AAUM destacou que a relação mais contínua que se estabeleceu com a Fundação Bracara Augusta no ano da Capital Europeia da Juventude trouxe ótimos resultados, mas lamentou que a mesma não tivesse continuidade. “Ao nível da cultura, saídas profissionais e desporto organizamos atividades que tiveram grande impacto e que serviram para aproximar os estudantes da própria cidade”, afirmou, recordando que para além das questões mais ligadas à vida universitária, é também responsabilidade da AAUM promover a integração dos estudantes na vida da cidade.

Sobre esse assunto, o líder dos “Juntos Por Braga” salientou também o papel muito importante da AAUM durante a Capital Europeia da Juventude (CEJ), que durante o ano e através de várias iniciativas enriqueceu o programa da CEJ “Tratou-se de um excelente exemplo da mais-valia que uma maior integração da AAUM com a cidade pode trazer. Infelizmente, é uma parceria que fica manchada pelo não pagamento atempado das verbas contratualizadas por parte da Fundação Bracara Augusta”, lamentou Rio, lembrando que esse atraso colocou a AAUM em sérias dificuldades financeiras: “São episódios que no futuro não se podem repetir”.

Durante a reunião, foram ainda abordados temas como a necessidade de maior segurança no campus, a escassez de transportes públicos para as residências universitárias, a necessidade de redução de custos de acesso ao Theatro Circo por parte das estruturas culturais da UM ou o projeto da Quinta dos Peões onde ficaria localizada a sede da AAUM e que Carlos Videira vê com “bons olhos”.

Por fim, Carlos Videira fez um balanço extremamente positivo dos primeiros seis meses de Presidência da AAUM. “Temos dado uma atenção especial á área social, tendo em conta o período de dificuldades que o pais atravessa e que estende aos estudantes. Esse trabalho teve bons resultados e refletiu se ao nível da decida de preços das senhas de cantina, das senha de transporte, e do não aumento de propinas, o que acontece pela primeira vez na UM”, assegurou.

Ricardo Rio visitou empresa “APC - Instrumentos Musicais”

No Comments »


Empresa é uma referência de qualidade a nível mundial na produção de instrumentos de corda
No seguimento de um ciclo de contactos com agentes de diversos âmbitos de atuação, Ricardo Rio visitou a empresa “APC - Instrumentos Musicais”, sediada em Celeirós. António Pinto de Carvalho, dono e fundador da empresa, acompanhou Rio durante esta iniciativa. 

A APC é uma empresa que iniciou a sua atividade em 1976 e que se tornou uma verdadeira referência a nível mundial na produção de instrumentos de corda. “Fabricamos vários tipos de instrumentos, desde as guitarras clássica, folk, eletroacústica e portuguesa, passando pelos bandolins, cavaquinhos, etc. Esta foi uma arte que aprendi com o meu avô e a que dei continuidade, felizmente com enorme sucesso. Os nossos produtos são reconhecidos a nível internacional como sendo de qualidade superior”, afirmou António Carvalho. 

De acordo com o líder dos “Juntos Por Braga”, esta é uma empresa que, por via da imensa variedade e qualidade dos instrumentos que produz, é hoje reconhecida por mercados de todas as partes do globo, o que é algo de muito significativo e demonstrativo de que é perfeitamente possível produzir produtos de excelência em Braga. “Se formos capazes de nos posicionar, de identificarmos os nichos de mercado e de trabalharmos bem a procura desses mesmos mercados, por certo conseguimos trazer para Braga mais projetos que vão assegurar a criação de postos de trabalho e um volume maior de faturação e da riqueza no concelho”, assegurou, salientando que a autarquia deve ser um parceiro do tecido empresarial, sendo sua responsabilidade fornecer todas as condições às empresas para estas poderem obter sucesso. 

Por seu turno, António Carvalho salientou que a Câmara Municipal poderia facilitar e ajudar ao andamento de alguns processos, sobretudo em termos de licenciamento. “Seria importante que algo se alterasse ao nível da atenção que a autarquia dá às empresas”, afirmou, sublinhando que espera mudanças no próximo ciclo de gestão municipal: “É sempre bom que exista mudança, porque com ela vêm novas ideias e novas maneiras de estar e de atender as pessoas”.

Na ocasião, Ricardo Rio lançou ainda o desafio ao dono da APC de colocar o nome de Braga nas etiquetas dos produtos, levando assim a referência da cidade a todas as partes do mundo onde vendem os seus instrumentos e junto dos grandes artistas internacionais. “Da mesma forma que atualmente fazem questão de ter nas etiquetas a inscrição ´By APC, Made in Portugal’, seria também um orgulho ver o nome de Braga associado”, desafiou Rio. 

Por fim, António Carvalho enfatizou que, apesar da crise que se faz sentir a nível europeu, as perspetivas para o futuro da empresa são ótimas. “É verdade que o negócio na Europa não está famoso, sobretudo no que se refere aos prazos de pagamento. Mas temos outros mercados que estamos a começar a explorar, como é o caso da Rússia, e o facto de exportarmos mais de 75% da nossa produção dá-nos muita segurança”, garantiu.


Hino da campanha de Ricardo Rio

1 Comment »

Rio defende que Parque Industrial de Sobreposta merece maior atenção por parte da autarquia

No Comments »

Ricardo Rio visitou empresa “Cachapuz”


Integrado num ciclo de contactos com diversos agentes de diferentes âmbitos de actuação, e que tem como principal finalidade promover uma política baseada no diálogo e na proximidade, Ricardo Rio visitou a empresa Cachapuz. Graça Cunha Coelho, Codiretora-Geral da Cachapuz, acompanhou Rio durante esta iniciativa.

A Cachapuz é uma empresa que, como Graça Cunha Coelho explicou, é pioneira em Portugal na concepção e fabrico de equipamentos de pesagem e no desenho e implementação de soluções de software para pesagem industrial. “Somos líderes na pesagem industrial e, desde 1993, especializamo-nos também na concepção e implementação de software para o controlo de processos industriais. Fomos os primeiros no mercado nesta área e com a nossa atitude, empenho, qualidade e aposta na investigação e desenvolvimento contínuo conseguimos manter a liderança”, realçou, notando que a marca Cachapuz remonta a 1654, tendo a actividade industrial sido iniciada em 1920.

De acordo com o líder dos “Juntos Por Braga”, esta é uma empresa com uma vastíssima história na cidade e um excelente exemplo de que a aposta constante na inovação e modernidade trazem óptimos resultados. “A Cachapuz é uma referência na área das balanças e merece todos os elogios pelo facto de, ao longo destes anos, sempre se ter esforçado por inovar e criar novas soluções, sendo esse o segredo para se manterem tantos anos na liderança do mercado”, afirmou.

Segundo Ricardo Rio, é necessária uma maior atenção às condições oferecidas pelo Parque Industrial de Sobreposta, onde a empresa está instalada. “Esta zona poderia funcionar como local de muito maior atractividade para as empresas e para o nosso concelho, faltando-lhe para isso as condições de acessibilidade e algumas infraestruturas básicas, como o saneamento. É necessário a autarquia dar maior atenção e este Parque para que possa captar mais investimentos e riqueza para a região”, enfatizou.

No que se refere a este tema, Graça Cunha Coelho lamentou que os investimentos no melhoramento do Parque Industrial tenham sido consecutivamente adiados. “Sentimos que é necessário terminarem algumas das obras pendentes para valorizar este Parque, que merece ser dotado de melhores condições para as empresas aqui se sediarem”, afiançou.



Câmara Municipal deve proteger património industrial

Para o candidato à Presidência da Câmara Municipal de Braga, existem diversos outros aspectos onde a autarquia pode cooperar com esta empresa. “Cabe ao executivo municipal a responsabilidade de potenciar a preservação do património industrial do concelho. Tal como defendemos no passado em relação, por exemplo, à Fabrica Confiança, é fundamental que se criem núcleos museológicos para preservação do que tem sido a produção das fábricas mais emblemáticas ao longo dos anos, neste caso concreto de balanças. São elementos de atractividade e uma marca diferenciadora que Braga tem de aproveitar”, sublinhou.

Por seu turno, a Codiretora-Geral da Cachapuz revelou que espera que a próxima gestão autárquica traga uma atitude mais aberta para com as empresas. “Esperamos que no futuro a Câmara Municipal comunique de forma diferente e esteja mais próxima das empresas. É fundamental que se aproveitam as potencialidades das instituições que temos hoje na cidade, nomeadamente o tecido empresarial, o Instituto de Nanotecnologia e a Universidade do Minho”, defendeu, salientando que estão reunidas as condições para, em conjunto, se fazer um trabalho muito interessante e dinamizar a cidade, que por si só possui imensos factores de atracção que precisam de ser potenciados.

A finalizar, Graça Cunha Coelho evidenciou que a empresa está confiante de que no futuro continuará a liderar o mercado neste sector. “Acreditamos muito no nosso trabalho e na estratégia que delineamos para a empresa. Temos um núcleo de investigação e desenvolvimento permanente e, há medida que vamos tendo novos desafios, desenvolvemos também novos projectos e novas soluções”, afirmou, destacando que a concretização dessas soluções só é possível muito devido à mão-de-obra qualificada que recrutam na Universidade do Minho: “Da UM saem profissionais com imensas competências e muito bem preparados para a se integrarem com sucesso no mundo do trabalho”.

Braga deve aproveitar o Artesanato do ponto de vista histórico e económico

No Comments »

Ricardo Rio visitou Associação dos Artesãos do Minho


Inserido num ciclo de contactos que os “Juntos Por Braga” têm vindo a promover com diversos agentes, Ricardo Rio visitou a Associação dos Artesãos da Região do Minho. José Torres, Presidente da Direcção e sócio fundador da associação, acompanhou Rio durante esta iniciativa.

Como explicou José Torres, a associação tem como principais objectivos a divulgação e promoção do artesanato e a defesa das condições socioeconómicas dos artesãos. “Desenvolvemos a investigação e a procura do artesanato tradicional minhoto e impulsionamos a venda do mesmo. Ajudamos a abrir portas para a comercialização e institucionalização do próprio artesão, sendo que tratamos também do processo de obtenção da carta de artesão”, revelou, afirmando que entre outras actividades pontuais, a associação promove, de quarta-feira a Sábado, os seus produtos através de uma actividade de rua no centro da cidade.

De acordo com o candidato à Presidência da Câmara Municipal, Braga é uma cidade onde existe ainda um vasto historial de ligação às diversas artes e ofícios que deve ser respeitado e aproveitado. “O artesanato tem um peso importante do ponto de vista etnográfico e histórico, mas tem também um peso económico muito relevante. Entendemos que devem ser desenvolvidas várias iniciativas de cooperação com as entidades que actuam directamente nesta área”, salientou, enaltecendo o trabalho meritório de promoção, divulgação e agilização dos canais de distribuição do artesanato que tem vindo a ser desenvolvido por esta Associação.

Nesse sentido, Rio sublinhou que é importante reforçar a colaboração da autarquia para que se possa potenciar a rentabilização da actividade destes artesãos e, ao mesmo tempo, desenvolver actividades de animação crescente na cidade. “Esta associação tem participado em diversas actividades em Braga, como recentemente aconteceu no Festival Castro-Galaico, e queremos que essa participação seja cada vez maior e repercutida por diversas zonas do concelho”, afirmou, notando que esse factor seria positivo tanto para os profissionais, que teriam oportunidade de rentabilizar mais o seu trabalho, como para a cidade, que usufruiria dessa arte e da animação dai decorrente.

Por seu turno, também José Torres defendeu que deveria haver uma maior interligação entre a Câmara Municipal e o movimento associativo. “Gostaríamos que houvesse um maior intercâmbio de ideias e que tivéssemos do outro lado um interlocutor mais assertivo e definidor de metas e tarefas, até porque o nosso trabalho acaba por promover o próprio concelho”, garantiu, adiantando que a criação de uma rede de trabalho com as várias associações daria origem a sinergias que poderiam potenciar ainda mais as actividades efectuadas.

O Presidente da associação enfatizou que é urgente mudar algo para que o artesanato tenha condições para sobreviver. “Como é óbvio, o artesanato está a sofrer as consequências da crise que está a afectar toda a nossa sociedade. Mas acreditamos que com um maior investimento no turismo e na promoção das artes e ofícios antigos, esta situação se pode inverter. É fundamental ponderar e optar pelos melhores caminhos, porque algo tem de se fazer para preservar esta actividade tão nobre”, alertou.

Por fim, o líder dos “Juntos Por Braga” elogiou a ideia expressa pela associação de criar uma Escola de Artes e Ofícios que possa transmitir os conhecimentos às gerações futuras. “É essencial para o futuro da actividade que estes saberes não sejam abandonados nem perdidos. Vemos com muito bons olhos a ideia de criação de uma escola que possa servir como garante da continuação desta tradição no futuro”, concluiu. Sobre este tema, José Torres afirmou que espera que até ao final deste ano se consigam reunir as condições para que a Escola dê os primeiros passos.

Ricardo Rio e António Cunha de acordo: É desejável uma maior colaboração entre Câmara e Universidade

No Comments »

Ricardo Rio reuniu com Reitor da “UM”

Ricardo Rio, líder dos “Juntos Por Braga”, reuniu com António Cunha, Reitor da Universidade do Minho (UM). Esta foi uma oportunidade para Rio reiterar a vontade de, na próxima gestão autárquica, promover de forma bastante mais intensa o estreitamento de relações entre a Câmara Municipal e a UM. Presentes na reunião estiveram ainda vários elementos que integram a lista dos “Juntos Por Braga” para as próximas eleições autárquicas.

De acordo com Rio, é fundamental e urgente que haja um claro aprofundamento das relações que a autarquia tem estabelecido com a UM. “Como temos vindo a anunciar, iremos criar um pelouro exclusivamente direccionado para trabalhar a ligação à Universidade em sede de executivo municipal. Mas muito mais há para fazer em áreas como a cultura, o apoio à actividade económica ou os incentivos ao empreendedorismo”, garantiu, salientando que é importante saber aproveitar o conhecimento produzido na Universidade para fundamentar algumas das opções politicas municipais do ponto de vista técnico, tendo assim a autarquia todos os dados ao seu dispor para tomar uma decisão que seja a mais “cabal” e “sustentada” possível e evitando uma lógica de “experimentalismo” que muitas vezes se observa.

Por seu turno, António Cunha sublinhou que esta é uma área onde nunca se pode estar satisfeito e onde há sempre algo mais a fazer. “Certamente que essa relação deve ser a melhor e a mais cúmplice possível, tendo em conta a importância que a UM tem para a cidade e a influência que possui na definição de soluções para o futuro desta região e comunidade”, observou, enfatizando que deve haver um entrosamento mais efectivo entre os projectos da UM e os que são elaborados pela autarquia: “As universidades têm uma dimensão internacional, mas não deixam de estar inseridas num espaço, que tem de ser atractivo e ao qual as Universidades podem e devem ajudar a dar maior dinâmica económica”.

Nesse sentido, o Reitor da UM afiançou que existem várias formas de reduzir e mitigar a distância que se faz sentir entre a cidade e a Universidade, sem que para isso sejam necessários investimentos avultados. “O que me parece necessário e desejável é que haja um plano de desenvolvimento integrado entre a UM e a autarquia, que preveja os modos de resolver essas dificuldades e deficiências que o crescimento de Braga nos últimos anos foi evidenciando”, afirmou, considerando positivo o facto de ser quase unânime que esta é uma questão que necessita de ser abordada rapidamente.

Segundo o líder dos “Juntos Por Braga”, a promoção de um clima de relacionamento substancialmente diferente do que se tem verificado até ao momento será benéfico para as partes envolvidas, mas sobretudo para todos os bracarense e para a região, que muito terá a ganhar com esta relação mais cúmplice entre as entidades que são os “dois principais agentes” de desenvolvimento do concelho.


UM tem conseguido reagir a quadro adverso

Durante a reunião, foram também abordadas algumas das preocupações da UM que estão mais relacionadas com o Estado central e com o financiamento da instituição. “Como é óbvio, a UM não está imune à situação que se vive a nível nacional. Felizmente, temos tido uma grande capacidade para reagir a este quadro de adversidade: actualmente conseguimos ter mais alunos com o mesmo quadro docente e conseguimos ainda reforçar a captação de verbas externas”, explicou António Cunha.

Para o Reitor, seria óptimo que as Universidades tivessem maiores níveis de flexibilidade e de autonomia para prosseguirem os seus projectos de ensino de investigação autónomos. “Defenderei sempre a introdução de qualquer quadro de regime jurídico para as Universidades públicas que garanta mais autonomia e que permita que estas se destaquem numa área de grande concorrência internacional e onde a atracção de estudantes e de talentos se faz num quadro muito competitivo”, disse.

Por fim, António Cunha afirmou que a UM encara de forma muito positiva o projecto de urbanização e criação de valências pensado para a Quinta dos Peões. “Estivemos, no passado, envolvidos na definição de um projecto para essa zona, sendo uma proposta que nos parece muito positiva e que gostaríamos de ver consumada nos termos em que foi acordada com a Universidade, isto é, com a utilização do espaço para várias funcionalidades, quer ligadas à dimensão económica e ao empreendedorismo tecnológico, quer direccionadas para congressos, hotelaria e a uma zona destinada à Associação Académica da UM”, finalizou.

Orlando Gomes será o candidato da coligação “Juntos por Braga” à União de Freguesias de Escudeiros, Penso S. Estevão e Penso S. Vicente

No Comments »



Orlando Agostinho Marques Fernandes Gomes tem 43 anos, é casado e natural de Escudeiros, Braga.
Completou o Ensino Secundário na Escola Alberto Sampaio.

A nível profissional, Orlando Gomes trabalhou, até 2001, na empresa SPORMEX, onde foi o Responsável do Departamento de Planeamento e Logística. Desde 2001 que é o sócio gerente da empresa MODELSTAND, LDA. No plano empresarial, é, também, sócio gerente da empresa MULTITENDAS, LDA, desde 2004, e da WC Rente desde 2010.

Orlando Gomes é o actual Presidente da Junta de Escudeiros, lugar para o qual se recandidata, desta vez em União às Freguesias de Penso de S. Estevão e Penso S. Vicente.

Arraial Minhoto

No Comments »



No próximo Sábado, dia 20 de Julho, pelas 16H, a coligação “Juntos Por Braga” vai realizar um Arraial Minhoto no Parque de Merendas de Merelim S. Paio. A iniciativa, de entrada livre, irá estender-se pela noite dentro e será uma forma de promover o convívio e a boa disposição entre os candidatos e os apoiantes, aproveitando o bom tempo que se faz sentir.

A animação do evento estará a cargo de vários grupos bem conhecidos de todos os Bracarenses. Os Bomboémia - Grupo de Percussão da Universidade do Minho -, a Rusga de Merelim S. Paio, o Borguinha de Braga, o Grupo Folclórico Infantil e Juvenil do Carreiro de Escudeiros, a Banda Novo Império de Merelim S. Pedro e o músico Hugo Torres serão os responsáveis pela animação da iniciativa. Durante a tarde, está também prevista a realização de vários jogos tradicionais entre os presentes. Na ementa constará ainda Porco no Espeto, Frango no Churrasco, bebidas e muita animação.

Como salientou Ricardo Rio, todos estão convidados a comparecer nesta jornada que se quer de convívio e de enorme diversão. “Esta é uma óptima oportunidade para retemperar forças e estimular a confraternização entre as pessoas. A animação será a palavra de ordem num dia que queremos que todos aproveitem para se divertir e fugir à rotina do dia-a-dia”, afirmou.

Henrique Borges anunciou candidatura à União de Freguesias de Cabreiros e Passos S. Julião

No Comments »



Henrique Borges anunciou a sua candidatura às próximas eleições autárquicas na união de freguesias de Cabreiros e Passos S. Julião, liderando a equipa dos “Juntos Por Braga”. O anúncio foi efectuado aproveitando a visita de Ricardo Rio às duas freguesias, numa iniciativa de contacto e diálogo com a população local.

Henrique Lobo Borges tem 34 anos e é solteiro. Nasceu em Cabreiros, tendo origens familiares em Passos S. Julião. Frequentou o Licenciatura de Sociologia, ramo Politicas Sociais na Universidade do Minho em Braga, tendo realizado o seu Estágio Curricular na Empresa Municipal BragaHabit. Desenvolveu funções de assessor parlamentar na Assembleia da República durante duas legislaturas. Actualmente exerce funções de adjunto do Secretário de Estado de Ensino e Administração Escolar, no Ministério da Educação e Ciência. Na freguesia de Cabreiros desenvolveu várias actividades, foi coordenador da catequese paroquial e pertenceu ao grupo de Jovens. No plano desportivo é sócio do Sporting Clube de Cabreiros, onde foi também Director durante um mandato. Faz parte da Direcção do Centro Social da Associação Cultural e Recreativa de Cabreiros.

Na ocasião do anúncio, Henrique Borges salientou que esta é uma candidatura que pretende colocar definitivamente Cabreiros e Passos S. Julião na rota da modernidade e do desenvolvimento. “Estas são duas freguesias que estão estagnadas e que necessitam de um abanão. Estamos prontos para ser os rostos da mudança”, afirmou.

Como sublinhou Henrique Borges, esta é uma candidatura que vem na sequência de um trabalho dinâmico e sério de oposição efectuado em Cabreiros, a que agora pretende dar continuidade enquanto Presidente da Junta, estendendo-o a Passos S. Julião. “Estamos a formar uma lista capaz de defender os interesses de Cabreiros e Passos S. Julião, sempre em pé de igualdade e respeitando as características próprias de cada freguesia”, disse.

Para o candidato à liderança desta união de freguesias, o apoio social, a aposta na educação e o reforço das condições de prestação de cuidados de saúde são as grandes prioridades. “Estas são áreas às quais queremos dar uma atenção maior, melhorando a qualidade de vida dos habitantes destas freguesias. Estou certo de que as pessoas saberão reconhecer o valor do nosso programa e as vantagens da mudança que representamos”, garantiu,

Por seu turno, o líder dos “Juntos Por Braga” enfatizou que estas são duas freguesias onde se tem vindo a “fazer caminho” rumo à mudança que se irá concretizar a 29 de Setembro. “Este é o caso exemplar de uma equipa que teve a coragem de não desistir e de sempre lutar pelos interesses maiores das suas freguesias, acreditando que no futuro as coisas iriam melhor. Pois esse futuro está quase a chegar e tenho a certeza que Cabreiros e Passos S. Julião irão fazer parte da mudança que se irá sentir um pouco por todo o concelho”, afirmou.

Segundo Ricardo Rio, esta é uma equipa que sai reforçada com a união de esforços e as sinergias criadas entre as duas freguesias e que tem todas as condições para obter sucesso. “Temos um projecto muito válido, liderado por uma pessoa com enorme capacidade de trabalho e com um passado recheado de intervenções políticas de grande relevo. Esta candidatura está muito bem entregue ao Henrique Borges”, acredita.

Por fim, o candidato à Presidência da Câmara Municipal adiantou que pretende uma autarquia mais interessada e disponível para ajudar as freguesias. “Da nossa parte, podem contar com todo o empenho e dedicação no sentido de dar a Cabreiros e Passos S. Julião todas as condições para que se desenvolvam de forma consolidada e harmoniosa”, finalizou.

Ricardo Ferreira anunciou candidatura à União de Freguesias de Merelim S. Pedro e Frossos

No Comments »


Ricardo Ferreira, Presidente da Junta de Merelim S. Pedro, anunciou a sua candidatura às próximas eleições autárquicas na união de freguesias de Merelim S. Pedro e Frossos, liderando a equipa dos “Juntos Por Braga”. Ricardo Ferreira pretende dar continuidade ao trabalho que vem desenvolvendo na sua freguesia desde 2009, ano em que tomou posse como Presidente da Junta.

Ricardo José Pinto dos Anjos Ferreira tem 37 anos e é residente em Merelim S. Paio, onde também exerce a sua atividade profissional. Ao longo dos anos, foi-se destacando pela sua intervenção ativa na vida da comunidade. Foi vice-presidente e secretário-geral do Merelinense Futebol Clube. É também o fundador da Associação ‘Os 13 Moscas de Merelim’, uma coletividade de cariz social, cultural, recreativo e desportivo. 

Na ocasião do anúncio, que contou com a presença do líder dos “Juntos Por Braga”, Ricardo Ferreira salientou que esta é uma candidatura “natural” e de “continuidade” face ao trabalho que a sua equipa tem vindo a desenvolver em Merelim S. Pedro, e que agora será estendido a Frossos. “Na freguesia que lideramos, temos conseguido aumentar a qualidade de vida dos habitantes, que sentem no seu dia-a-dia as diferenças relativamente ao passado. Agora o desafio é maior, e queremos que Frossos e a sua população sintam também os ventos da mudança e os enormes benefícios que uma gestão transparente e rigorosa pode trazer”, afirmou. 

Segundo o candidato à liderança da União de freguesias, é necessário formar-se uma equipa forte e sólida, que tenha como objetivo comum o desenvolvimento de ambas as freguesias. “Temos de falar a uma só voz na defesa dos interesses de Frossos e Merelim S. Pedro. Podem estar certos de que vamos efetuar um trabalho sério e leal, tendo a união como palavra-chave”, garantiu. 

De acordo com Ricardo Ferreira, é fundamental a atenção à ajuda social, ao associativismo e à defesa do ambiente. “Essas são áreas às quais temos dado grande atenção em Merelim S. Pedro, num trabalho que começou em 2009 e que tem todas as condições para evoluir e continuar a crescer, aproveitando também o impulso e as sinergias que se irão criar com Frossos”, sublinhou. 

Por seu turno, o líder dos “Juntos Por Braga” reforçou que a equipa liderada por Ricardo Ferreira tem feito um trabalho extremamente meritório em circunstâncias muito adversas, já que ao longo deste tempo nunca contou com o apoio da Câmara Municipal. “No próximo ciclo autárquico, podem contar com os ´Juntos Por Braga´ para inverter este tipo de políticas. Iremos sempre trabalhar tendo em vista o benefício das comunidades, sem discriminar nenhuma freguesia”, destacou, afiançando que com a alteração na Câmara Municipal e com a equipa de Ricardo Ferreira na liderança destas duas freguesias, estão reunidas todas as condições para se caminhar definitivamente rumo ao progresso e ao desenvolvimento.

Ricardo Rio visitou empresa “Novo Modelo Europa”

1 Comment »


Aposta na modernidade e na inovação é o segredo do sucesso da empresa no mercado 

Ricardo Rio, líder dos “Juntos Por Braga”, visitou a empresa “Novo Modelo Europa”, sediada em Priscos. Manuel Correia, dono e fundador da empresa, acompanhou Rio durante a iniciativa. 

A Novo Modelo Europa, fundada em 1994, desenvolve a sua atividade principal na construção civil e obras públicas, estando focalizada estrategicamente na construção metálica, carpintarias e mobiliário, fachadas em vidro, alumínio e painéis leves. “Somos uma empresa que se tem vindo a afirmar no mercado pelo seu valor e dinamismo, sendo que procuramos sempre manter os mais elevados níveis de serviço, promovendo as práticas empresariais e ambientais responsáveis”, salientou Manuel Correia, garantido que a empresa se rege pelos princípios do rigor e da qualidade, palavras-chave que permitiram um crescimento sustentado ao longo dos anos. 

De acordo com o candidato à Presidência da Câmara Municipal de Braga, esta é uma empresa que está num patamar de grande qualidade em termos de modernidade das suas instalações e dos serviços que desenvolve. “É essa capacidade que diferencia esta empresa e que tem conseguido alavancar não só uma presença bastante positiva no mercado nacional, mas também uma expansão contínua para mercados estrangeiros”, sublinhou. 

Nesse sentido, Rio felicitou a empresa pela capacidade de investimento e inovação demonstradas, que possibilitam a geração de riqueza para a cidade e a criação de vários postos de trabalho. “Queremos contribuir para que estes tipos de estruturas empresariais tenham todas as condições para triunfar em Braga, fortalecendo o tecido económico e a empregabilidade no nosso concelho. Ao contrário do que tem sucedido na atual gestão municipal, será prioridade dos ´Juntos Por Braga´ garantir que isso acontece”, afirmou. 

Por seu turno, Manuel Correia afirmou que o mercado externo é a principal aposta da empresa. “Estamos a exportar 45% da nossa produção para o estrangeiro, nomeadamente França e Angola. O mercado interno, como sabemos, diminuiu e o nosso sucesso depende muito das exportações, onde temos novas perspetivas ótimas para o futuro. Já no próximo ano, queremos estar a exportar cerca de 75% dos nossos produtos”, enfatizou. 

A Novo Modelo Europa mudou-se para Priscos há cerca de 5 anos, tendo a mudança de instalações representado um investimento elevado que o dono da empresa garante que “valeu a pena”. “Foi um risco, mas só apostando é que podemos ter retorno. Fizemos um grande investimento, que foi desde a compra dos terrenos, à construção das instalações e à compra dos equipamentos, que são todos novos. Felizmente, a opção está a dar frutos”, concluiu, congratulando-se pelo facto de desde o início do ano a empresa ter admitido mais 13 colaboradores, num total de 129.

Associação desenvolve trabalho excecional reconhecido por toda a sociedade Bracarense

No Comments »

Ricardo Rio visitou “AAAEIC”


No seguimento de um ciclo de contactos que os “Juntos Por Braga” têm vindo a promover com diversos agentes de diferentes áreas de actuação, Ricardo Rio visitou a Associação dos Antigos Alunos da Escola Industrial e Comercial de Braga (AAAEIC). Cláudio Silva, Presidente da associação desde 2011, e João Pires, Presidente da Junta de Freguesia de S. Lázaro, acompanharam Rio durante esta iniciativa.

Esta é uma associação que, como explicou Cláudio Silva, surgiu através de convívios e confraternizações de antigos alunos da Escola Frei Bartolomeu do Mártires, que deu origem à Escola Industrial e Comercial de Braga. “Inicialmente, a ideia da criação da associação era unicamente a promoção do convívio e a manutenção dos laços de amizade entre as pessoas. Com o tempo, as coisas foram-se tornando mais sérias, mas sem nunca perder o objectivo inicial de vista”, salientou, contando que a AAAEIC se constituiu como IPSS em 1993, usufruindo da valência de centro de acolhimento de idosos, que acolhe 25 pessoas.

Actualmente, a AAAEIC, que conta com mais de 700 associados, desenvolve várias actividades lúdicas regulares como aulas de dança, pintura, artes decorativas, inglês, etc. “Mantemos as pessoas entretidas e a passar o tempo de forma divertida e pedagógica, ao mesmo tempo que juntamos ex-alunos que a vida separou quando acabaram os estudos, e que aqui se juntam de novo para reviver o passado e aproveitar o presente”, garantiu.

De acordo com Ricardo Rio, também ele associado da AAAEIC, esta é uma associação que desenvolve um trabalho excepcional que é reconhecido por toda a sociedade Bracarense. “A vossa instituição tem um impacto que vai muito para lá dos antigos alunos da Escola Industrial e Comercial, e que é fruto do reconhecimento do vosso mérito e da qualidade dos projectos”, adiantou.

O líder dos “Juntos Por Braga” defendeu que a autarquia não pode ficar indiferente ao trabalho que esta associação desenvolve e que merece uma colaboração e parceria mais activas. “Há muitas formas de apoiar que nem sequer envolvem gastar dinheiro, mas envolvem muita vontade de trabalhar e disponibilidade para perceber as reais necessidades das instituições. É o que tem faltado ao actual executivo municipal”, criticou.

O candidato à Presidência da Câmara Municipal disse que conta muito com a AAAEIC para desenvolver um trabalho que sirva cada vez mais a comunidade. “Vamos aproveitar o vosso empenho e dedicação para desenvolver trabalho nas áreas do reforço do apoio social e do acompanhamento dos alunos, para além da intervenção na vertente cultural e social que são do âmbito normal da vossa actuação”, concluiu.


Nova sede pronta em Outubro é objectivo da direcção

A AAAEIC está sediada provisoriamente no topo da Rua 31 de Janeiro, num edifício cedido por um associado. No entanto, a associação adquiriu já um novo edifício para onde se pretendem mudar em Outubro. “A nossa nova sede será localizada na Avenida Imaculada Conceição, sendo que iniciamos o processo de obras e estamos apenas à espera da conclusão de alguns trâmites legais para as finalizar. Esperamos novidades em breve e temos esperança de em Outubro já estarem reunidas as condições para nos mudarmos para o novo edifício”, sublinhou, enfatizando que este estará melhor preparado para receber as actividades da associação.

Em termos financeiros, Cláudio Silva notou que, apesar da conjuntura, a AAAEIC goza de uma gestão equilibrada. “É evidente que a aquisição do imóvel para a nova sede obrigou a um esforço adicional, que só foi possível graças à gestão regrada das direcções que me antecederam e que permitiram que quase todo o pagamento do imóvel fosse proveniente de capitais próprios e o restante de donativos de associados”, disse, ressaltando que esse facto dá agora uma maior margem de liberdade à instituição.

Segundo o Presidente da AAAEIC, outro dos principais objectivos para o futuro passa por promover uma maior interacção entre os jovens e os associados mais idosos, que predominam na associação. “É verdade que existe um hiato bastante grande, mas estamos a criar valências para a juventude de forma a incentivar o intercâmbio geracional, que é fundamental. Queremos que se faça um “link” entre os recentes antigos alunos e os mais velhos”, afirmou, afiançando que o projecto de apoio social e serviço à comunidade do Centro Artístico Social e Criativo Urbano, direccionado para os jovens, é uma “arma” para promover essa mesma aproximação.

Por fim, João Pires, Presidente da Junta de S. Lázaro, garantiu que irá continuar a apoiar esta instituição de forma incansável. “É nossa obrigação estar atentos e ajudar esta associação, como fazemos com todas as organizações que têm sede nesta freguesia”, considerou. Também Cláudio Silva aproveitou a ocasião para agradecer a postura de João Pires e a sua atenção e preocupação constantes com as necessidades da AAAEIC.